BT e Vodafone pedem a Boris Johnson para autorizar 5G da Huawei

Fontes da indústria de telecomunicações dizem que Philip Jansen, executivo-chefe da BT, e Nick Read, que dirige a Vodafone, elaboraram uma carta para ser enviada ao PM dentro de dias e diz que a proibição da Huawei poderia prejudicar o crescimento da economia digital da Grã-Bretanha. Na semana passada,  altas autoridades americanas disseram aos Ministros britânicos que o uso da tecnologia Huawei em redes 5G colocaria em risco a partilha transatlântica de informações.

A British Telecom e a Vodafone, as principais operadoras móveis do Reino Unido estão a considerar pedir a Boris Johnson para não arriscar a implementação de redes móveis 5G no país ao proibir a Huawei, diz uma informação.

Fontes da indústria de telecomunicações dizem que Philip Jansen, executivo-chefe da BT, e Nick Read, que dirige a Vodafone, elaboraram uma carta para ser enviada ao PM dentro de dias e diz que a proibição da Huawei poderia prejudicar o crescimento da economia digital da Grã-Bretanha.

Na semana passada,  altas autoridades americanas disseram aos Ministros britânicos que o uso da tecnologia Huawei em redes 5G colocaria em risco a partilha transatlântica de informações.

Andrew Parker, chefe do MI5, também afirma que não vê  "razão para pensar" que o uso de tecnologia Huawei mudaria o relacionamento de partilha de inteligência com os EUA.

Todas as principais redes móveis do Reino Unido, onde se incluem Vodafone, BT, EE e Three, tenham lançado serviços 5G com recurso a equipamentos Huawei e alguns funcionários do governo admitem que o bloqueio da Huawei custaria muito aos consumidores.

Relacionado:  Tablet Honor X7 estreia com bateria de 5100 mAh e preço super económico

Devido à pressão dos EUA, Boris Johnson deve tomar uma decisão final sobre a Huawei ainda este mês e espera-se que o primeiro-ministro dê luz verde à  maior fabricante de equipamentos de telecomunicações.

 

Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!