Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia

O carregamento rápido de 120w é definitivamente a maior novidade, uma vez que incluido na caixa temos um surpreendente carregador de 120W. É mais do dobro da potência de carregamento de 55W do Mi 11, e arrasa completamente os 25W do Samsung Galaxy S21 ou os 15W do iPhone 12. Demora pouco mais de 17 minutos – não é engano – a carregar o telefone dos 0% aos 100%.

Apesar de ser na gama principal que a Xiaomi estreia a sua nova tecnologia, a linha T é muitas vezes onde estão as verdadeiras pérolas da empresa chinesa. Lançado cerca de seis meses após o Xiaomi Mi 11, o 11T Pro oferece muitas das características do telefone mais premium da Xiaomi num dispositivo que tem um preço mais apelativo, embora com algumas cedências aqui e ali para manter o preço baixo.

Esse é o objectivo da família T, o Xiaomi 11T Pro é um dispositivo impressionante que facilmente tentará os compradores a afastarem-se do Mi 11 ‘padrão’.

O Xiaomi 11T Pro – reparem que perdeu o prefixo “Mi’,  é um telefone de bandeira em muitos aspectos. Vamos descobir porquê.

Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 1

O Xiaomi 11T Pro tem quase exatamente a mesma matriz de câmaras, o mesmo chipset, uma bateria maior e um carregamento mais rápido do que o Mi 11. Claro, o seu ecrã é um pouco mais pequeno, mas devido ao ter margens planas (ao contrário do Mi 11), a área visível é basicamente do mesmo tamanho.

O carregamento rápido de 120w é definitivamente a maior novidade, uma vez que incluido na caixa temos um surpreendente carregador de 120W. É mais do dobro da potência de carregamento de 55W do Mi 11, e arrasa completamente os 25W do Samsung Galaxy S21 ou os 15W do iPhone 12. Demora pouco mais de 17 minutos – não é engano – a carregar o telefone dos 0% aos 100%.

Muitas outras características do 11T Pro podem ser consideradas impressionantes devido ao preço tão baixo. O chipset Snapdragon 888, por exemplo, encontra-se mais frequentemente em telefones premium, embora alguns aparelhos mais baratos também o tenham, e fornece poder de processamento mais que suficiente para quaisquer jogos ou outras tarefas. No entanto a questão de sobreaquecimento do 888, muitas vezes comentada, nota-se em alguns detalhes. Sabe-se que o chipset sobreaquece quando colocado em tarefas pesadas por longos períodos de tempo, o que por sua vez pode reduzir o seu desempenho até arrefecer, por isso, se usarem muito o telefone, poderão deparar-se com este problema.

O Xiaomi 11T Pro também apresenta outras pequenas áreas de melhoria – uma delas é o material utilizado para a superfície traseira que é um íman de impressões digitais. Poucos minutos depois de começar a utilizar o dispositivo, a nossa unidade estava repleta de dedadas que tiram algum do prazer de manusear um equipamento tão potente.  As pessoas com mãos mais pequenas podem ter dificuldade em alcançar os botões laterais do telefone, pois é um dispositivo bastante alto.

No entanto, no geral, ficámos muito bem impressionados com o Xiaomi 11T Pro durante os nossos testes.

Preço e disponibilidade do Xiaomi 11T Pro

A data de lançamento do Xiaomi 11T Pro foi 1 de Outubro, e as pré-encomendas começaram na semana anterior e incluíam a oferta de uma Mi TV de 32″. A Xiaomi está a tornar a vida muito complicada á concorrência.

O preço é 699.99€ na loja oficial – isto é, para 8GB de RAM e 256GB de armazenamento. Neste momento, encontra-se fora de stock, o que mostra o sucesso que este terminal está a ter no mercado nacional.

 

Design

O Xiaomi 11T Pro não é o smartphone mais distinto visualmente do mundo, mas o foco da linha T nunca foi o design.

É um telefone grande – talvez demasiado grande para algumas pessoas usarem confortavelmente, – mas isso também significa que tem muito espaço no ecrã.

Na extremidade direita do telefone está um scanner de impressões digitais, que estava ao nosso alcance, mas que pode ser uma luta para alguns lá chegarem. É um scanner com uma resposta impressionante, e nunca tivemos problemas em desbloquear o nosso telefone apenas com uma leve passagem do polegar.

Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 2

De facto, por vezes verificámos que o sensor fosse talvez um pouco sensível demais – quando segurávamos o dispositivo na mão enquanto caminhávamos, mesmo um leve toque do polegar sobre o scanner desbloqueia o telefone, o que significa que muitas vezes desbloqueámos o dispositivo quando não queríamos. Não podemos apontar o dedo a um telefone por ter uma funcionalidade que é demasiado boa, mas é algo que vale a pena assinalar.

Logo acima do leitor de impressões digitais estão os botões de volume. O aparelho tem uma porta USB-C mas não conta com entrada para auscultadores de 3,5mm, pelo que precisarão de um adaptador se quiserem ligar os vossos fones de ouvido com jack 3.5mm.

Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 3Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 4
Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 5Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 6

 

Uma melhoria agradável em relação ao Mi 10T Pro é a protuberância da câmara na parte de trás, que é mais discreta. No 11T Pro, protuberância da câmara não é tão gigantesca. A maior área de melhoria que podemos apontar na parte de trás do telefone é ser, como já disse, um íman de impressões digitais e a utilização do dispositivo transforma o plástico liso, num conjunto de manchas e dedadas.

Display

No papel, o ecrã do Xiaomi 11T Pro é indiscutivelmente um dos pontos mais fracos em relação ao Mi 11; isto não quer dizer que seja mau, mas o ecrã do Mi 11 era um dos seus principais pontos de venda, ao passo que no 11T Pro parece que o Xiaomi está a concentrar-se nas câmaras. No entanto, o ecrã é absolutamente adequado ao fim a que se destina.

Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 7

É um painel AMOLED de 6,67 polegadas, que é um pouco menor do que o ecrã de 6,81 polegadas no Mi 11, mas ao contrário desse telefone, o ecrã do 11T Pro não curva nas extremidades, o buraco para a câmara frontal está no centro superior do ecrã, em vez de estar no centro superior esquerdo.

A resolução é 2400 x 1080, que é o padrão para a maioria dos telefones a qualquer preço. Embora os telefones Mi 11 atinjam 3200 x 1440, 1080p é suficiente para a maioria das tarefas, uma vez que os serviços de streaming e jogos geralmente só atingem essa resolução. Nunca sentimos a necessidade de ter mais pixéis no ecrã do 11T Pro.

O aparelho também tem uma taxa de actualização rápida de 120Hz, que é igual ao Mi 11 mas que na realidade fica aquém dos 144Hz na série Mi 10T – embora isso seja um detalhe fácil de ignorar quando se considera que tão poucas aplicações podem tirar o máximo partido dos ecrãs de 144Hz. Esta é a estratégia da Xiaomi para a linha T, fazer pequenos Downgrades para reduzir o preço, desde que, não impactem significativamente a experiência do utilizador.

Camâras

Se conhecem as câmaras do Xiaomi Mi 11, vão achar o conjunto do 11T Pro bastante familiar: tem os mesmos sensore de telemacro de 108MP principais e 5MP, mas as suas câmaras ultra-largas e de selfie são de 8MP e 16MP respectivamente.

A câmara principal é de f/1.75 108MP semelhante à do Mi 11 – tira fotografias de excelência m condições de boa luminosidade, com bom contraste, cores arrojadas e muitos detalhes. Por defeito, esta câmara usa ‘pixel binning’, um processo no qual os pixéis são combinados para criar menos, mas maiores pixéis (que são melhores para ‘ver’ a luz), o que significa que as fotografias tiradas são de 27MP.

Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 8

Se quiserem, podem mudar para um modo de alta resolução que utiliza os 108MP completos do sensor – as fotos capturadas neste modo são de super alta resolução, o que lhe dá mais margem para posterior edição, mas captura tanta informação de cor e luminosidade por pixel.

Em condições de fraca luminosidade, o 11T Pro não se destaca particularmente, pois há algum ruído nas fotografias, apesar de o ‘pixel binning’ fazer o seu trabalho.

Temos a câmara ultra larga, com uma abertura f/2.2 e resolução de 8MP – devido a este sensor de relativamente baixa resolução as imagens podem parecer um pouco granuladas em áreas, mas não é muito percetível a menos que se procure por falhas. As cores registadas são semelhantes às das fotografias tiradas com a câmara principal, mas ocasionalmente notamos problemas de sobre-exposição.

Como no Mi 11 padrão, a câmara de telemacro f/2.4 5MP faz maravilhas, pois é fantástica para tirar fotografias macro ou de grande plano.

A câmara é rápida de focar e fácil de usar, e permite captar os pequenos detalhes e texturas em pequenos assuntos que de outra forma não conseguiríamos registar. Divertimo-nos a captar fotografias de perto de plantas e alimentos.

Na parte da frente, ficámos satisfeitos com as imagens registadas com o Xiaomi 11T Pro; os 16MP são mais do que suficiente.

Os retratos apresentam um contraste apelativo, e parece-nos que as sombras e os destaques são trabalhados pelo software para que o assunto se destaque mais. Nestas fotos, o efeito de fundo desfocado ou ‘bokeh’ geralmente fez um bom trabalho de separação do sujeitos do cenários, embora por vezes também acabe por desfocar as arestas do corpo.

As imagens tiradas usando o modo Retrato da câmara principal saem ótimas – o pós-processamento aplicado às imagens é subtil e difícil de notar, mas fazem com que o sujeito se destaque do fundo um pouco mais.

Vai gostar de saber:  Xiaomi 12 Ultra vai ter câmara quad com lente zoom periscópio de 5x

A julgar pelo marketing da Xiaomi, a videografia é um aspecto importante das capacidades das câmaras do 11T Pro. Os vídeos podem ir até 8K e temos uma gama de modos extra como letterboxing, macro vídeo, rastreio de objectos e zoom áudio que são ferramentas extra úteis para tirar o melhor partido do hardware de câmara do Xiaomi 11T Pro.

A Xiaomi diferenciou-se da concorrência com ferramentas de câmara extra nos seus telefones, tanto para fotografias como para vídeo, há o modo de edição do céu que permite alterar a aparência do fundo do céu de uma fotografia; o modo Vlog, que edita automaticamente clips de vídeo de vários segundos; clone, que mostra uma imagem espelho para fotografias ou vídeos; efeitos de filme que basicamente adiciona um filtro de cor aos vídeos, e muito mais.

Ao contrário da maioria dos novos telefones Xiaomi, não conseguimos encontrar quaisquer novos modos introduzidos com o 11T Pro, mas as atualizações de software trazem frequentemente novas ferramentas aos dispositivos da empresa.

Camera samples

Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 9Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 10Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 11
Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 12Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 13Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 14

Especificações e desempenho

O Xiaomi 11T Pro tem no seu interior o chipset Snapdragon 888 – não é o chipset topo de gama Android disponível, pois saiu uma versão Plus pouco antes deste telefone, mas continua a ser um processador super-poderoso que, em teoria, deve fazer o telefone funcionar rapidamente e excelente para jogos.

Isso é em teoria; quando executámos o teste de referência Geekbench 5, ele devolveu estranhas pontuações multi-core, variando de um mínimo de 2783 a um máximo de 3054. Geralmente, vemos resultados num intervalo inferior a 100, não cerca de 300, como aqui.

Para o contexto, os Mi 11 e Mi 11 Ultra ambos com SnapDragon 888 atingem consistentemente mais de 3500, e os resultados do 11T Pro são inferiores aos de qualquer outro telefone Snapdragon 888 que testamos. Na verdade, muitos telefones com chipsets mais antigos, como o Samsung Galaxy S20 FE com Snapdragon 865 e o Oneplus 8 Pro, ultrapassaram-no.

É provável que as questões de sobreaquecimento do Snapdragon 888 acima mencionados sejam a origem do problema. Uma das maiores queixas dos utilizadores em relação ao Snapdragon 888 é o meso o sobreaquecimento: quando está a executar uma tarefa intensiva, pode aquecer bastante facilmente em comparação com versões anteriores ou chipsets de rivais, algo que é perceptível quando se joga no Xiaomi 11T Pro.

Quando fizemos os testes Geekbench logo a seguir um ao outro, as pontuações pareciam baixar de forma consistente, embora mesmo quando o telefone voltava frio as pontuações eram mais baixas que o esperado. Supomos que o aquecimento do telefone esteja a reduzir o seu desempenho, um problema que também foi identificado com o Xiaomi Mi 11 Ultra.

Dito isto, esta quebra de performance em Benchmarks não é tão evidente no uso quotidiano e classificamos o desempenho como bastante rápido no Xiaomi 11T Pro – mesmo com as mais exigentes configurações gráficas aplicadas. É possível que longos períodos de jogo possam desencadear o problema do sobreaquecimento, e um potencial impacto no desempenho, mas não notámos isso  em sessões de jogo de até uma hora.

Software

Como todos os telefones Xiaomi, o 11T Pro corre Android com a skin MIUI. O dispositivo vem com o Android 11 de fábrica, e provavelmente pode contar com alguns anos de actualizações.

A MIUI vem com muitas aplicações pré-instaladas como eBay, LinkedIn e AliExpress; mas está cada vez melhor e apesar de algumas inconsistências aqui e ali a experiência geral é muito boa.

Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 15

Se conseguir ultrapassar estas questões – e terá de se contorcer para ultrapassar algumas delas – a MIUI tem vários aspectos positivos que compensam os negativos.

A interface do utilizador tem um centro de controlo ao estilo iOS, que pode ser personalizado. Isto significa que em vez de deslizar para baixo para ver os ícones das opções e a lista de notificações, como em outros telefones Android, podem puxar para baixo da parte superior esquerda para mostrar notificações ou da parte superior direita para ver opções como Bluetooth, Wi-Fi e dados móveis. Uma vez habituado a algo como isto, é difícil voltar à opção padrão de lista única em outros dispositivos.

Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 16

Os papéis de parede pré-instalados com a MIUI têm todos um ótimo especto, e oferecem muitas opções para personalizar o ecrã sempre ligado. A MIUI também oferece diversas opções de personalização para fazer com que o ecrã inicial fique exactamente como o utilizador deseja.

Parece que a MIUI faz algumas coisas muito melhor do que outras Skins de outros fabricantes, e outras faz pior; a utilização do Xiaomi 11T Pro deixa isto bem claro.

Duração da bateria

É uma surpresa dada a bateria de 5.000mAh, que é bastante grande para um telefone que a autonomia não seja nada de extraordinário. É provável que uma combinação do grande ecrã, a alta taxa de actualização,  chipset com fome de energia e o modem 5G sejam uma combinação letal para a vida útil da bateria.

Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 17

Descobrimos que, se limitássemos a utilização, é possível conseguir que o telefone durasse mais de um dia. Os utilizadores com perfil de utilização menos intensivo  devem conseguir facilmente mais que um dia entre carregamentos, então, mas usam muito os vossos dispositivos e passam muito tempo longe do carregador podem achar a autonomia do Xiaomi 11T Pro algo limitada.

Mas , no nosso caso, a autonomia nunca foi uma questão. O Xiaomi 11T Pro carrega a uma incrível velocidade de 120W e nos testes que fizemos conseguimos um carregamento total de 0% a 100% em cerca de 19 minutos. Até filmámos para que não seja difícil de acreditar. Ah, o carregador de 120W VEM NA CAIXA!

Vídeo carregamento de 0% a 100% em 19m com os 120w do Xiaomi 11T Pro


A Xiaomi afirma que demora 17 minutos a carregar o telefone de 0% a 100% usando o carregador de caixa, e com base nos nossos testes, não foge muito a isso. É incrivelmente rápido – e conseguem ter uma manhã inteira de utilização carregando o telefone enquanto bebem café. Na nossa opinião esta velocidade de carregamento compensa bem a via útil relativamente fraca. Salientamos que não há carregamento sem fios ou carregamento sem fios reverso, pelo que é sempre necessário usar cabos para carregar o telefone.

Análise Xiaomi 11T Pro. Um milagre tecnológico com fome de energia 18

 

Conclusão

O Xiaomi 11T Pro é um telemóvel espantoso com algumas características incríveis. O carregamento rápido, só por si, distingue-o da concorrência, mas quando se adiciona a matriz de câmaras e o chipset, tem-se um telefone que é difícil de bater a este preço de 699€. Quer esteja à procura de um cavalo de batalha ou de um dispositivo de lazer, o 11T Pro tem tudo o que podem precisar e muito mais.

A bateria de 5000mAh pode ser considerada grande para um telefone, mas autonomia não é extraordinária. A alta taxa de actualização e o chipset com consumo de energia elevado são muito provavelmente a razão pela qual este aparelho não tem tempos de autonomia mais longos. O Xiaomi 11T Pro é, no entanto, o telefone perfeito para pessoas que querem um aparelho potente que possa lidar com qualquer coisa. Com o seu carregamento rápido de 120w, ficar sem bateria é um problema solucionável em alguns minutos. Além disso, o seu conjunto de câmaras é espantoso, e permite captar fotografias e vídeos deslumbrantes, independentemente de onde estiverem e em que condições se encontrarem.

 

 

73%
Um milagre tecnológico com fome de energia

Análise Xiaomi 11T Pro

O Xiaomi 11T Pro é um telemóvel espantoso com algumas características incríveis. O carregamento rápido, só por si, distingue-o da concorrência, mas quando se adiciona a matriz de câmaras e o chipset, tem-se um telefone que é difícil de bater a este preço de 699€. Quer esteja à procura de um cavalo de batalha ou de um dispositivo de lazer, o 11T Pro tem tudo o que podem precisar e muito mais.

  • Design
  • Cãmaras
  • Autonomia
  • Velocidade de carregamento
  • Desempenho
  • Ecrã

A bateria de 5000mAh pode ser considerada grande para um telefone, mas autonomia não é extraordinária. A alta taxa de actualização e o chipset com consumo de energia elevado são muito provavelmente a razão pela qual este aparelho não tem tempos de autonomia mais longos. O Xiaomi 11T Pro é, no entanto, o telefone perfeito para pessoas que querem um aparelho potente que possa lidar com qualquer coisa. Com o seu carregamento rápido de 120w, ficar sem bateria é um problema solucionável em alguns minutos. Além disso, o seu conjunto de câmaras é espantoso, e permite captar fotografias e vídeos deslumbrantes, independentemente de onde estiverem e em que condições se encontrarem.

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!