Android Geek
O maior site de Android em Português

Análise Sony Xperia XZ2

O Sony Xperia XZ2 marca a chegada de um novo design na linha de smartphones da fabricante Japonesa, que há muito era criticada como sendo antiquada e obsoleta.

De muitas formas, o Xperia XZ2 conta com uma mudança muito bem-vinda, para quebrar a monotonia que a divisão de smartphones da Sony lançou nos últimos anos. Ele oferece aos compradores especificações dignas de um topo de gama, um ecrã da moda com a proporção 18: 9 e um design moderno. Ao contrario do que muito se possa dizer, se é fã dos últimos telefones da Sony, então vai adorar o XZ2.

Análise Sony Xperia XZ2 1

Infelizmente, antigos fantasmas em torno de seu software e câmara, juntamente com a ausência de alguns recursos importantes, podem deixa-lo longe da concorrência, mas ainda assim o XZ2 marca um ponto de viragem na forma como o gigante japonês olha para os smartphones.

Análise Sony Xperia XZ2 – Design

Visualmente, o Xperia XZ2 é um avanço significativo em relação aos aparelhos Sony anteriores. Isto é principalmente porque a Sony finalmente abandonou o design antigo (omnibalance) que atormentou os Xperias do passado. O design plano e durável foi substituído por um belo chassi de material misto, com uma linda traseira de vidro curvo.
Pessoalmente gosto muito do resultado final, pois é um dispositivo maravilhosamente moderno que é tão atraente como outros flagships no mercado. Também fiquei satisfeito em ver que a Sony decidiu ficar longe de outro tendência do mercado, a do Notch, e apesar de já ter sido mais contra ele, penso que um ecrã livre de entalhes é sempre uma boa opção. O único, e grande incómodo, são as margens do ecrã, embora mais pequenas do que os seus antecessores, permanecem muito percetíveis. Não consigo perceber o que levou a Sony a equipar o XZ2 com um ecrã 18:9, se não é para ter um rácio de ecrã e corpo maior do que o habitual. Já temos no mercado, smartphones que custam sensivelmente metade do que o XZ2 custa, com um rácio significativamente maior.

A Sony também fez um bom trabalho ao equipar o telefone com tudo o que um flagship de 2018 deve ter, e estou a falar do NFC, Bluetooth 5.0, carregamento sem fio Qi e um slot para cartão microSD, o que facilita e agiliza o armazenamento interno do telefone. Para quem dá muito uso ao áudio, este equipamento tem suporte para o áudio LDAC e de alta resolução, juntamente com os altifalantes retrabalhados que a Sony afirma serem 20% mais potentes do que os que equipam o primeiro XZ.

E já que abordamos o tema do som, as capacidades de entretenimento do telefone são ainda auxiliadas pela adição do novo Sistema Dinâmico de Vibração da Sony, o mesmo que equipa os comandos da Playstation 4. Isso faz com que o telefone vibre de forma mais pronunciada quando recebe uma notificação, ou quando estivermos a jogar, ou simplesmente a ver um filme. Esse Sistema Dinâmico de Vibração pode ser configurado com 4 níveis distintos de intensidade. Apesar de pessoalmente não ser fã dessa funcionalidade, testei em diversos jogos e a ver alguns pequenos filmes do Youtube, e ele realmente funciona, e dá um animo engraçado, se bem que por vezes, a vibração mesmo no nível 1 tende a ser exagerada.

O vidro usado no acabamento do Xperia XZ2 é de muito boa qualidade, muito agradável de ter na mão, mas é extremamente escorregadio. Deixando o telefone em cima da mesa, e com vibração que não precisa de ser nada fora do normal, facilmente vemos o mesmo “ganhar vida” e deslocar-se a seu belo prazer. Confesso que 3 ou 4 situações evitei acidentes que podiam ser trágicos para o equipamento, somente porque tenho as colunas do PC sempre com som ambiente em cima da mesa… e o telefone teimava e “fugir” para as bordas da mesa. Com o nível de vibração do máximo, e com uma chamada (que não atendemos) o telefone foi capaz, até a chamada entrar em voice mail, deslocar-se mais de 9 centímetros, da zona onde estava.

Apesar destes incómodos todos, e tal como já tinha referido em cima, é muito agradável de te-lo na mão. Isso é muito por culpa dos materiais de primeira qualidade que a Sony decidiu colocar no telefone. Ele conta a certificação IP67, mas por bem, decidi não testa-la. No entanto, a meu ver, ele tem alguns defeitos, entre eles a posição do sensor de impressão digital, que está na parte traseira, e sensivelmente no centro do equipamento. Para quem tem as mãos grandes, se tiver o telefone bem seguro na mão, levar o dedo indicador (ou outro qualquer) até ao sensor, requer uma ginástica de dedos que me parece que a Sony não prestou atenção a esse ponto. E o uso do sensor de impressão digital é quase obrigatório, isto porque, porque incrivel que possa parecer, a Sony ainda não disponibilizou o desbloqueio por face no telefone. Sério Sony? Estamos em 2018 e com um flagship…

Análise Sony Xperia XZ2 9

Do lado direito do equipamento, temos todos os botões físicos que o equipamento conta, botões de volume acima, botão power no centro (isto é para que Sony?) e o habitual botão da câmara no fundo. Ao contrário dos outros 2 botões, o botão power foi colocado numa posição estranha. E lembram-se porque critiquei a posição do sensor de impressão digital? A mesma critica serva para o botão power.

Ahh, não me posso despedir do design sem vos informar que o telefone não conta com qualquer porta de 3,5mm para os phones de ouvido. Para usar uns phones com fios, só usando a porta USB do tipo C.

Análise Sony Xperia XZ2 – Ecrã

No parte do design já falamos um pouco sobre o ecrã do Xperia XZ2, mas não falamos nada em termos técnicos. Ele é composto por um painel IPS, com a proporção 18:9 e 5,7 polegadas e com uma resolução FullHD+, com 1080×2160 pixeis, que lhe dá 429ppi. A grande maioria dos flagships de 2018 contam com ecrãs com a resolução QuadHD +, mas para vos ser sincero, acho que o FullHD vai satisfazer 99% dos utilizadores. Os icones e o texto são verdadeiramente nítidos e as cores parecem bem realistas e vibrantes. Os brancos são razoavelmente limpos, mas assumem um tom ligeiramente vermelho ao olhar para o telefone de certos ângulos, mas isso é normal nos painéis IPS.

Análise Sony Xperia XZ2 10

A grande vantagem deste ecrã é que foi projetado para atender aos padrões do HDR móvel, ou seja, uma vez que a sua câmara traseira pode gravar vídeo em HDR, o telefone pode melhorar o conteúdo para HDR usando a tecnologia Bravia da Sony. Alem disso, permite que os fãs do multimédia, tenham acesso a conteúdos exclusivos, por exemplo da Netflix.

Análise Sony Xperia XZ2 – Software

Num mercado onde a maioria das fabricantes estão cada vez mais a reduzir a quantidade de aplicações que vêm com o smartphone, a Sony parece empenhada em fazer precisamente o oposto. Temos aplicações duplicadas praticamente para tudo, de contactos e e-mails a players de música e vídeo, já para não falar da quantidade de bloatware perfeitamente dispensável.

Carregar o Android 8.0 Oreo com o AVG Protection, e muitas outras aplicações completamente inúteis, não me parece ser boa política. Contudo, e apesar de não as conseguirmos eliminar, facilmente as conseguimos desativar. De resto a interface é muito limpa e rápida, e apesar dos inconvenientes que abordei atrás, na parte de software, notou-se muitas melhorias, se tivermos em consideração o seu antecessor.

Análise Sony Xperia XZ2 – Performance

Se existe algo onde o Xperia XZ2 é realmente competente é na sua performance. Ele está equipado com aquele que é atualmente o melhor SOC do mercado, e estamos a falar do Snapdragon 845 da Qualcomm, com 4GB de RAM. E engana-se quem pensar que 4GB é pouco, tendo em conta que muitos flagships já possuem 6GB e outra até 8GB. Estes 4GB de RAM são mais que suficientes para a grande maioria dos utilizadores, o telefone é mesmo muito rápido. O telefone navega suavemente entre os ecrãs de menus, as aplicações abrem-se em segundos e a navegação na Web com vários separadores continua a ser uma experiência suave e livre de trepidações. Jogos exigentes como o Riptide GP2, o Battlegrounds e até mesmo o PUBG são executados sem qualquer tipo de problema, ou aquecimento.

As pontuações de benchmarks do XZ2 refletem tudo aquilo que expliquei em cima, apesar de um desempenho, no teste single core, atipicamente baixo no Geekbench 4.

Se a sua prioridade é desempenho, então o XZ2 vai certamente satisfazê-lo, podendo mesmo afirmar que é dos telefones mais rápidos que já testei.

Análise Sony Xperia XZ2 – Câmaras

Sem se conseguir perceber bem porque, e apesar de ser uma fabricante bem conceituada na área, os telefone Xperia sempre deixaram muito a desejar no quesito da câmara. Apesar de estar longe (muito longe) de possuir câmaras de má qualidade, a verdade é que este XZ2 merecia mais. Ele possui uma câmara traseira básica de 19 megapixeis com um sensor Exmor RS de 1 / 2,3 pol.

Não é pela falta de um sistema de dupla câmara traseira que o equipamento perde em termos de qualidade, uma vez que já vimos a Google fabricar um dos melhores telefones a nível de fotografia, e que só possui um sensor traseiro.

O seu único sensor tira fotos boas o suficiente para serem usadas nas redes sociais, desde que tiradas com alguma luz. No telefone, as imagens oferecem um contraste decente e não são super processadas. A adição de um botão físico dedicado para tirar fotos, já é um bom habito  da Sony.

Análise Sony Xperia XZ2 11

Infelizmente as fotos em situações com pouca luz, não são as melhores (comparado com outros flagships de 2018). As fotos tiradas em tal condição são utilizáveis ​​e parecem boas quando vistas no telefone, mas no momento em que decide exporta-las e vê-las num ecrã maior (por exemplo no PC), facilmente se verifica algumas áreas em que o foco automático da câmara ficou um pouco confuso. Bom era se a Sony tivesse adicionado o OIS ou usado uma lente com uma abertura melhor, e com isso devidamente implementado, talvez tivesse tido melhores resultados com a câmara do seu topo de gama. O modo slow-mo de 960fps e a capacidade de capturar vídeo com profundidade de 10 bits e cores BT.2020, foram realmente melhorados, mas infelizmente, os testes do mundo real mostram que, embora sejam definitivamente melhores que o seu antecessor, continuam a deixar a câmara deste equipamento, um passo atrás em relação aos seus rivais.

A captura de vídeo é boa e a adição de uma opção de gravação 4K HDR é ótima, embora eu tenha tido alguns problemas com o modo super-slow motion do XZ2. O sistema funciona da mesma maneira que em flagships anteriores da Sony, permitindo que capture vídeos a uns incríveis 960 fps durante alguns segundos. Mas, ao contrário dos antigos aparelhos Xperia, agora podemos filmar a essa velocidade em 1080p, o que é um grande passo em relação ao limite anterior de 720p.

A câmara frontal (Exmor R) de 5 megapixels é “normal”, ou seja, é mais do que suficiente para selfies e chamadas de vídeo em boa luz, mas a qualidade da imagem volta a deteriorar-se em condições com pouca luz.

Análise Sony Xperia XZ2 – Bateria

Esta é uma das maiores preocupações dos utilizadores. Mas posso afirmar que apesar de contar apenas com 3180mAh, e mesmo em dias mais intensos, tive sempre bateria para um dia inteiro, sem ter de fazer algum tipo de poupança. E o seu carregamento também é extremamente rápido, dos 20 aos 100% não demora muito mais que 90 minutos, quando carregado com fio. Infelizmente na tive a oportunidade de testar o carregamento sem fio.
Está em linha com aquilo que outras fabricantes oferecem nos seus topos de gama, para este ano.

Análise Sony Xperia XZ2 12

Facto que pode ser importante, mas não é relevante para o uso diário do equipamento, é que diversas aplicações detetam a bateria do equipamento como sendo de 3060mAh.

Análise Sony Xperia XZ2 – Conclusões

Para quem é fã da marca, este Sony Xperia XZ2 não vai desapontar. É um telefone muito bem acabado, usa materiais de primeira qualidade, e um desempenho fantástico.
Tem alguns defeitos, que aos olhos de muitos podem ser somente feitios. O seu ecrã apesar de ser de boa qualidade, as suas margem continuam grandes demais, e a Sony devia e podia ter aproveitado melhor a frente do equipamento. Não era difícil colocar um ecrã com 5,9 ou 6 polegadas neste corpo, e deixava o telefone com um aspeto muito mais apetecível.
As câmaras, e especialmente a câmara traseira, devia ser de melhor qualidade. A Sony possui sensores fantásticos, não consigo perceber esta escolha.

Mas de um modo geral é um bom telefone, que como todos, possui alguns defeitos. Em tom de conversa com os colegas aqui da redação disse varias vezes, apesar de o Xperia XZ2 ser um “telefone cheio de defeitos”, é um excelente smartphone.

Ajuda-nos a chegar mais longe, partilha com os teus amigos

Obrigado pela visita!

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais

Ajuda-nos a chegar mais longe, partilha com os teus amigos

Obrigado pela visita!
close-link