Android Geek
O maior site de Android em Português

Análise Nexus 6P | Provavelmente o melhor Nexus de sempre!

Análise Nexus 6P | Provavelmente o melhor Nexus de sempre!

 

Enquadramento

Passámos grande parte do ano de 2015 a ler rumores e especulações sobre a nova linha Nexus. A princípio pareceu um pouco difícil de acreditar que a recém chegada ao topo Huawei pudesse ser escolhida para fabricante do topo de gama da empresa mãe do Android. Mas se passarmos em revista o investimento e os produtos mais recentes da gigante chinesa, facilmente entendemos as razões que levaram a que tenha sido a escolhida.

Poderíamos ir mais atrás (pois a história da marca não começou aqui) mas vamos assinalar como ponto de viragem o lançamento do Huawei Mate 7 em Setembro de 2014. Desde essa altura que os terminais desta marca apresentam características transversais e com melhoramentos a cada lançamento.A construção em metal, o enfoque na autonomia, os excelentes ecrãs, câmaras impressionantes e os melhores sensores biométricos de leitura de impressão digital no mercado têm sido pontos diferenciadores de qualidade nos produtos da Huawei.

A Google certamente percebeu que uma parceria para a criação de um Nexus Google/Huawei seria um estrondoso sucesso. E para nós, consumidores, é um sonho tornado realidade. O Hardware e ADN de qualidade de um terminal Huawei a correr Android “puro” é quase bom demais para ser verdade.

O número de unidades deste terminal no nosso país ainda é muito escasso e foi com grande empenho que abraçámos a oportunidade de fazer uma análise a este equipamento em apenas 3 dias. Se sentirem que faltou algo nesta análise tentaremos compensar-vos quando possível.

Análise Nexus 6P | Provavelmente o melhor Nexus de sempre!

Design

O Nexus 6 da Motorola era um telefone grande e, além de grande, era pesado, o que tornava a sua utilização um pouco difícil ou mesmo impossível de realizar com apenas uma das mãos. A Google e a Huawei solucionaram esta questão pois o Nexus 6P é ligeiramente mais pequeno  e muito mais leve que o antecessor.

O ecrã foi reduzido de 5.96 polegadas para 5.7 esta ligeira redução permitiu reduzir o equipamento em tamanho e espessura. Ao comparar ambos os equipamentos lado a lado, parecem a “bela e o monstro”.

 

 

À semelhança do Nexus 6, o 6P da Huawei tem a traseira ligeiramente curva o que permite uma sensação de conforto e segurança ao pegar no equipamento. Para quem não sabe, o “P” em Nexus 6P é de Premium, e isso nota-se principalmente pela sua construção em metal que o vai destacar em comparação com o irmão mais pequeno, o Nexus 5X.

 

O preço do Nexus 6P pode ter desagradado a alguns potenciais clientes mas na verdade esta é a primeira vez que é lançado um Nexus totalmente em metal. E este upgrade tem um preço.

Na parte frontal do equipamento dispomos de duas colunas de som (uma no topo e outra na parte inferior).

Na traseira do equipamento encontra-se também uma das novidades num Nexus que é muito comum nos terminais da Huawei: o sensor de impressão digital que a Google decidiu chamar de Nexus Imprint.

Como sabem, uma das novidades do Android 6.0 Marshmallow é a integração com sensor biométrico de impressão digital. Claramente o topo de gama da Google teria que ter esta funcionalidade, e quem melhor para a desenvolver que a Huawei?

Na traseira temos ainda aquele aspecto que mais desanimou os fãs da gama Nexus (nós incluidos) quando surgiram as primeiras imagens do terminal: a faixa preta que cobre e aloja a câmara de 12MP e o flash.

Esta faixa preta com um ligeiro relevo levou muitos bloggers e jornalistas Tech a terem ataques de nervos em artigos sobre o assunto. Mas a verdade é que o relevo é mínimo e a faixa preta fica bem no Nexus 6P. Chama a atenção sem se tornar o centro das atenções. A razão para a existência desta faixa não é uma opção exclusivamente estética pois sabemos que esta saliência também serve como uma espécie de janela para as antenas do aparelho, assim como para o hardware do NFC, pois é o único local em que não temos alumínio, material que reflecte os sinais de rádio e causa problemas nas ligações sem fio.

A utilização deste design já levou um Executivo da ZTE a algumas declarações menos felizes, conforme falámos neste artigo.

Centrando agora atenções na parte de baixo do dispositivo, onde encontramos a desejada porta USB-Type C, que foi primeiramente vista no OnePlus 2 e que permite, para além de um carregamento rápido, ligar o cabo na posição que quisermos.

Ecrã

O ecrã de 5.7 polegadas é colorido, bem detalhado e é extremamente responsivo ao toque. A resolução QHD é absolutamente fantástica dando uma definição aos elementos no ecrã que não vemos habitualmente, isto num ecrã com tecnologia AMOLED que torna todas as cores brilhantes e vivas. A resolução de 2,560 x 1,440 com 525ppi fazem do ecrã do Nexus 6P um dos melhores actualmente.

O ecrã encontra-se protegido pela última geração da Cornig, o Gorilla Glass 4, que esperamos que seja o suficiente para suportar uma ou outra queda acidental. Este vidro é ainda oleófobico e resistente a manchas mas, como podem ver na imagem, resistente não é sinónimo de imune.

Câmara

A Google fez grande alarido sobre a câmara incluída no Nexus 6P que é fabricada pela Sony e tem 12.3MP

A nova lente e sensor elevaram o nível dos telefones Nexus em fracas condições de luz e em imagens com luz artificial. Os resultados são mesmo muito satisfatórios e esta é, sem dúvida, uma das melhores câmaras de smartphone da actualidade.

Existem vários argumentos a suportar a anterior afirmação: primeiramente, o sensor 1.55-micron significa que os pixeis na câmara do Nexus 6P são maiores que os do antecessor Nexus 6 e até mesmo do iPhone 6S Plus.

Pixeis maiores significam que a câmara consegue absorver mais luz, o que lhe permite capturar melhores imagens em fracas condições de luminosidade. Isto, combinado com autofocus laser, traduz-se em menos fotografias tremidas e uma melhor performance em luz fraca.

 

A rapidez de captura também é impressionante, o que me levou a questionar das primeiras vezes se as imagens estavam realmente a ser capturadas.Na câmara frontal o Nexus 6P traz 8MP com HDR+, o que permite selfies ao mais alto nível.

Nexus Imprint

Ambos os Nexus de 2015 vêm equipados com sensores biométricos de leitura de impressão digital. À semelhança do que já tínhamos visto nos excelentes lançamentos da Huawei este ano, a Google colocou os sensores exactamente onde deveriam estar, que é na traseira dos dispositivos: é o local mais anatómico possível e torna o processo de desbloqueio do telefone uma tarefa que não requer qualquer esforço ou atenção do utilizador.

faixa1.jpg

Outras marcas como a Apple e a Samsung colocaram os sensores no botão Home dos seus terminais, o que, na verdade, não faz qualquer sentido.

 

Ao contrário do que temos, por exemplo, no iPhone, não precisamos carregar em nenhum botão para desbloquear o equipamento. Basta colocar o dedo no sensor e o aparelho acorda e desbloqueia. Simplesmente fantástico!

Interface

O Nexus 6P, como não poderia deixar de ser, traz a última versão do nosso sistema operativo móvel preferido que é o Android 6.0 Marshmallow.

Vem com algumas funcionalidades melhoradas, tais como o Google Now, integração do sensor de leitura de impressão digital, melhor autonomia e outras como o  ‘Now on Tap’, uma aplicação com características semelhantes ao Googe Now que pode ser acedida dentro da aplicação que estamos a usar através do botão “Home”.

O sistema operativo corre de forma fluída e muito rápida no Nexus 6P, não só pelas melhorias que foram efectuadas pela Google, mas também pelo poderoso hardware com que a Huawei equipou este fantástico terminal. Estamos a falar do processador Snapdragon 810 e 3GB of RAM, que garantem que o dispositivo tem todo o poder que necessita para enfrentar qualquer desafio.

Benchmarks

Ao realizarmos os meramente indicativos testes de Benchmark habituais, constatamos que a qualidade dos componentes de hardware e sistema operativo reflectem-se na pontuação obtida sem, no entanto, surpreender.

Uma das questões que muito preocupa quem quer comprar um equipamento com o último processador da Qualcomm é o sobreaquecimento que tem vindo a ser relatado por utilizadores com equipamentos equipados com o Snapdragon 810.

Pelos testes que realizámos, o equipamento nunca aqueceu demasiado mesmo após relativo longo período de tempo com jogos exigentes. Logo de seguida, o desgastante teste de benchmark com a aplicação AnTuTu. Estes desafios elevaram a temperatura do equipamento aos valores que podem ver na imagem abaixo, longe dos (alegados) 60 graus atingidos por este chipset em outros terminais.

 

Autonomia

Os anteriores equipamentos da linha Nexus nunca foram famosos pela sua autonomia. Muito pelo contrário, alguns utilizadores vão mesmo ao desespero com o tempo de vida útil de bateria, em equipamentos como o Nexus 5 e 6.
Enquanto que os smartphones actuais que possuem grandes ecrãs têm uma média de 3.000mAh (como o LG G4, o Galaxy S6 Edge+, o Galaxy Note 5, o Xiaomi Mi Note Pro e outros), o Nexus 6P vem com uma bateria superior, de 3.450mAh. Pela utilização que demos ao equipamentos nos últimos dias, posso adiantar que, mesmo com uma utilização intensiva, com dados 4g, WIFI e Bluetooth sempre ligados, o equipamento aguenta o dia inteiro de utilização.
O Nexus 6P é unibody, portanto a bateria não é removível o que impossibilita termos uma bateria suplente para nos safar em caso de aperto. Contudo, se bem se recordam, com o Android Marshmallow a Google trouxe o modo “Doze” que permite às aplicações no Android 6.0 diminuir a actividade em segundo plano quando não são usadas por um determinado período de tempo. Na teoria isto faz com que o aparelho economize até duas vezes mais bateria em standby (promessa da Google a ser confirmada).

O aparelho também conta com a tecnologia de carregamento rápido da Qualcomm e oferece até sete horas de uso em apenas dez minutos de carregamento.

USB Type C

As especificações da nova entrada USB possibilitam que os smartphones sejam carregados com até 3 Amperes a 5 Volts. Um Galaxy S6 com 2.500 mAh seria carregado completamente em 50 minutos (se a bateria assim o permitir). Um Nexus 6P com 3.450 mAh seria carregado em pouco mais de uma hora.

 

O novo padrão de USB tem as mesmas medidas nas laterais (2,6 x 8,4 milímetros). Isso significa que não precisamos mais de procurar o lado certo para encaixar o cabo. Ambos os lados são iguais e funcionam no USB Type-C.

O USB Type-C foi fabricado para suportar 10.000 ligações. Se carregam o vosso smartphone uma vez por dia, isso significa 10.000 dias. Isso quer dizer 27 anos, 4 meses e 18 dias. Claro, até lá, já trocámos várias vezes de smartphone mas é bom saber que o USB Type C trouxe não só funcionalidades mas também resistência.

O novo padrão de USB é muito mais rápido. A velocidade máxima do USB 3.1 em teoria é de 10 Gbit/s. Isso é o suficiente para um vídeo em 4K com 60 frames por segundo e som (e ainda sobra espaço, por exemplo, para usar um mouse ou teclado pela mesma entrada). Em outras palavras, com o USB Type-C, os smartphones estarão um pouco mais próximos de substituírem os computadores de uma maneira mais eficiente.

Conclusão

O crescimento da Huawei em qualidade e penetração nos mercados levou a companhia chinesa ao topo do que consideramos o expoente máximo de reconhecimento de qualidade, que é ser incumbida de fabricar o topo de gama da Google.
Utilizei o equipamento como meu Daily Driver durante três dias e a minha opinião é que a Google não se enganou na aposta, pois este Nexus é o melhor que já foi feito.

O design e qualidade de construção é do melhor que existe no mercado. O hardware compete e supera a maior parte dos produtos concorrentes e vem com Android puro e actualizações garantidas conforme já nos habituou a gama Nexus.

Gostámos muito deste Nexus 6P. Esperamos ter a oportunidade de vos trazer uma review mais detalhada num futuro próximo.

Podem consultar este artigo para um detalhe de todas as características e especificações do Nexus 6P.

Este equipamento poderá ser adquirido na loja da Google já em Novembro!

 

 

Partilhar é importante, mostra este artigo aos teus amigos!

Obrigado, ficamos a dever-te uma 😉

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais

Partilhar é importante, mostra este artigo aos teus amigos!

Obrigado, ficamos a dever-te uma ;)
close-link