Android Geek
O maior site de Android em Português

Análise LG G6 um terminal simples que surpreende

Desde fevereiro de 2017 quando vimos pela primeira vez o LG G6 em Barcelona na MWC que ficou uma vontade de conhecer mais a fundo um dos equipamentos que se revelou logo um dos mais interessantes de 2017. Na altura da apresentação deste G6 não tinhamos visto ainda todos os Flagships deste ano. Naquela altura o ecrã do G6 arrancou elogios rasgados por parte de toda imprensa em Barcelona.

Agora,  quase 4 meses depois, e após termos tido os nossos momentos com os Flagships da concorrência, chegou a altura de explorar o G6 para que não fique nada por descobrir.

 

LG G6
LG G6

A LG merecia ter um equipamento que traduzisse em numero de vendas o excelente trabalho que a marca tem feito a criar equipamentos que trazem irrevêrencia e que acrescentam algo de novo.

Vimos esta inovação e irreverência no LG V10 o primeiro equipamento com um ecrã secundário, que permitia ver notificações e informação à escolha do utilizador de forma prática, mas o conceito não vingou. Depois vimos o G5 trazer a modularidade há tanto esperada. O LG G5 trazia consigo a promessa de podermos alterar e melhorar o nosso smartphone de acordo com as nossas necessidades no momento. No entanto a implementação não acompanhou o brilhantismo da ideia, e como sabemos o conceito também não vingou.

Depois de elogiarmos este espírito criativo da LG, temos que constatar que o melhor equipamento da LG nestes últimos tempos é este G6. Apesar de não ter nenhum pormenor que possamos identificar como uma aposta de risco. Ainda assim apresenta algumas características que o tornam único. E isto foi o melhor que fizeram, pois este LG G6 é uma aposta segura em todos os aspectos.

Mais Ecrã, muito mais ecrã

Ao vermos o LG G6 pela primeira vez é isso que prende a nossa atenção. O ecrã! <3

Análise LG G6 um terminal simples que surpreende 1

Em 2017 a tendência é ecrãs gigantes e margens mínimas, e o LG G6 é um magnânimo exemplo disso. O G6 passou de 70% para quase 80% de aproveitamento da frente do terminal quando comparado com o G5, mas ainda está abaixo do seu principal concorrente: o S8 da Samsung, que tem 83% de ecrã na frente do aparelho.

LG G6
LG G6

A LG abandonou o visual anterior e agora é tudo em metal e vidro, isto torna o G6 muito ergonómico e confortável nas mãos. No entanto é mais grosso que os concorrentes e isso não passa despercebido. Para além da espessura o único ponto menos positivo é a traseira ser um íman para dedadas devido à sua superfície em vidro completamente lisa.

Completamente lisa até na zona da câmera que desta vez não tem qualquer saliência. Ponto para a LG.

Como podem ver nas imagens acima, continuamos a ter  entrada 3.5mm para fones de ouvido, mas perdemos a modularidade que tínhamos no G5. Não vamos ter saudades, mas para aqueles que investiram nos Friends esta é a confirmação que não vos vão servir para nada com o G6.

Este é também o primeiro smartphone da LG que pode sobreviver em até um metro de profundidade por 30 minutos. Isto se for água doce! Água salgada ou com cloro pode danificar permanentemente o terminal. Depois não digam que não avisamos. 

Já tinha mencionado o ecrã? É Grande! 

O G6 é o primeiro equipamento da LG com algumas características como a certificação IP68 e um ecrã tão generoso. O resultado final é um smartphone muito apelativo esteticamente.

O ecrã é gigante e aproveita de forma excelente a parte frontal do smartphone com as suas 5.7 polegadas e resolução Quad HD+. O G6 faz parte do lote de equipamentos que apostam em ecrãs IPS LCD, sendo que este é o melhor representante desta tecnologia. As cores são bem balanceadas, o ângulo de visão é generoso e falhas cromáticas são raras.

Análise LG G6 um terminal simples que surpreende 11

Mesmo sem um ecrã  AMOLED., a LG incorporou a sua versão do Always On. O recurso permite que o relógio e algumas notificações sejam exibidas no ecrã do terminal, mesmo no estado StandBy, só que a tecnologia LCD ilumina todo o display. Isso é evidente em baixa luz, vê-se claramente o ecrã iluminado em cor preta, ao contrário dos ecrãs AMOLED da Samsung que apenas iluminam os pixeis que estão a ser usados.

O ecrã tem a proporção 2:1, ou seja, tem duas vezes a largura, na altura. Tal como noutros equipamentos com esta característica, a inovação do Hardware está mais adiantada que o software e o resultado é que algumas aplicações mostram ainda barras pretas no topo e base ou então mostram sempre os botões virtuais. Perde-se um pouco o efeito desejado, mas acredito que seja apenas uma questão de tempo até os programadores das aplicações terem em atenção este detalhe em próximas atualizações.

Em vídeos, capturados em 16:9 ou 21:9, para cinema, as barras são ainda mais evidentes.

Algumas apps permitem que se estique a proporção para preencher tudo, mas algumas informações laterais acabam por ficar invisiveis para o utilizador. Isto acontece em praticamente todas as aplicações.

O ecrã tem suporte para Dolby Vision e HDR 10 que permite cores mais vibrantes e brilho mais acentuado, mas ainda não está dísponivel em todas as aplicações, sendo as em que mais falta faz sejam Netflix e Youtube.

ESPECIFICAÇÕES

Quer tenha sido por decisão estratégica ou por mau planeamento, é impossível não notar que o Flagship da LG para 2017 incorpora um chipset do ano passado. Mais concretamente o LG G6 traz um Snapdragon 821 quando a sua concorrência exibe um Snapdragon 835, ou chipsets proprietários como o Kirin 960.

Para além do Chipset a RAM também se mantém a mesma do modelo anterior. É no entanto importante referir que para o utilizador comum, nem a diferença de CPU nem a ausência de RAM em quantidade maior se vão notar no desempenho normal.

Análise LG G6 um terminal simples que surpreende 12

 

 

SOFTWARE E DESEMPENHO

Conforme já tinha referido o Snapdragon 821 não é o processador mais potente do momento, mas é díficil entregar-lhe um desafio que ele não supere com facilidade. O LG G6 é um equipamento potente e fluído, não duvidem disso.

Mesmo quando dividimos o ecrã em dois e utilizamos duas aplicações em simultâneo é clara a fluidez e desenvoltura com que o LG G6 trata do assunto. Lag e engasgos são completamente inexistentes.

O mesmo acontece com cerca de 15 aplicações abertas em Background, o Android gere de forma muito eficaz a RAM utilizada e as especificações do LG G6 asseguram que nada falta ao utilizador para ter uma verdadeira máquina de produtividade em mãos.

A diferença mais evidente entre ter um smartphone com Snapdragon 821 ou 835, é que num prazo de um a dois anos o processador mais recente vai sempre levar vantagem. Portanto o LG G6 vai “envelhecer” mais rápido que outros Flagships de 2017. Este é o ponto negativo.

A LG simplificou a sua UI de forma notória, e isso nota-se na fluidez de utilização, mas ainda nos parece que há optimizações possíveis, como a exclusão de animações supérfluas.

O Ecrã e layout estão em consonância, e isso vê-se nos icones arredondados a condizer com os cantos do ecrã, são pequenas subtilezas que tornam a utilização do equipamento mais prazeirosa, mesmo que o utilizador mais distraído não se aperceba porquê. Ainda assim se não gostarem, podem sempre remover estes ícones e troca-los por outro formato que vos agrade mais.

Análise LG G6 um terminal simples que surpreende 13

Mesmo assim, a LG manteve os botões de navegação no fundo do display e muitos outros elementos do Android Puro.

Já falámos aqui da proporção 2:1, há aplicações em que faz mais sentido que outras de usar em ecrã completo, por isso é possível ao utilizador escolher quais as aplicações que pretende que sejam exibidas em ecrã completo. Outra novidade na UI da LG que nos surpreendeu foi a criação de uma “lixeira” de aplicações, ou seja se removermos uma aplicação, ela ficará em quarentena por 24h até desaparecer totalmente. Neste período podemos repor a aplicação e os seus dados sem esforço.

Não só as aplicações são passíveis de recuperação, como também outros elementos que inadvertidamente apaguemos do nosso LG G6.

Com o hardware que o G6 tem, não há nenhuma surpresa em constatar que ele tem um desempenho excelente. Conforme já referi, este terminal consegue lidar com qualquer desafio (jogo ou app) de forma fácil. Não vale a pena estar a dar exemplos concretos, porque dificilmente encontrarão uma app ou jogo que o LG G6 não mastigue sem dificuldades. A renderização dos gráficos ficou excelente, com imagens sempre muito bem definidas.

Quando o assunto são Benchmarks, a diferença de geração do processador também é evidente. Uma das críticas mais comuns que vão ouvir e ler sobre o LG G6 é mesmo a geração do chipset, ainda que, volto a referir em utilização normal as diferenças sejam quase imperceptíveis.

Análise LG G6 um terminal simples que surpreende 14
LG G6 AnTuTu Benchmark

GEEK BENCH LG G6

Câmeras

O LG G6 consegue captar fotos impressionantes quando temos boas condições de iluminação. Nesses casos, as imagens ficam muito bem definidas, com alto nível de detalhe e foco incrivelmente preciso. Estou habituado a equipamentos com câmeras extraordinárias como o meu P10, Mate9 ou mesmo Galaxy S8. Mas ainda assim o LG G6 com a sua câmera grande angular e excelente detalhe conseguiu surpreender-me quando analisei os primeiros resultados.

Análise LG G6 um terminal simples que surpreende 15
LG G6 Camera Sample WIDE ANGLE

A qualidade de algumas fotos chega a ser impressionante. Muito disso se deve ao foco PADF e ao sistema de câmeras duplo na parte traseira.

Análise LG G6 um terminal simples que surpreende 16

As imagens registadas com o G6 dão uma sensação de profundidade maior, o utilizador tem ainda a possibilidade de usar uma lente normal e outra com ângulo de 125°.

Análise LG G6 um terminal simples que surpreende 17
Zoom 0

Isso permite mostrar mais elementos no mesmo clique, ou ainda capturar uma paisagem mais ampla. Quem tira muitas fotos de pontos turísticos provavelmente vai deliciar-se com este recurso, já que é possível captar muita mais informação numa foto sem termos que estar demasiado longe do objecto a fotografar.

Mas todos os super heróis têm a sua fraqueza, o Super Homem não resiste à Kryptonite , Aquiles era frágil no calcanhar e o LG G6 tem dificuldades com fotos em baixa luz.

As fotos que vão ver abaixo foram captadas em modo automático e sem flash, e como podem ver a definição fica longe do que consideramos ideal. .

Com Flash a qualidade melhora, mas definitivamente este não é um dos pontos fortes deste nosso LG G6.

 

As fotos com Zoom também mostram algum granulado, mas não nos podemos esquecer que estamos a falar de smartphones. Quem quiser fotografar objectos a 1km com definição tem que pensar numa máquina profissional.

 

Bateria

A LG finalmente ultrapassou a barreira dos 3.000mAh e agora temos… 3.300mAh. Melhorias na capacidade das baterias são sempre bem vindas. Mas quando acompanhada desta melhoria (mínima) temos um acréscimo significativo de ecrã, ficamos mais ou menos na mesma.

Com um dia de uso, com muita música em streaming, GPS ocasional no Google Maps, muitas redes sociais, quase 4h30 de ecrã ligado e alguns jogos, consegui chegar a casa, por volta das 21h, com 15% de energia restante. Um pouco abaixo da experência que tivemos com outros Flagships de 2017.

De referir que o LG G6 tem a tecnologia Quick Charge 3.0 e recarrega a bateria em menos de duas horas. Do zero até 100%.

Extras

O som do LG G6  está dentro das expectativas que tínhamos, no entanto a localização da coluna na parte inferior torna fácil que obstruamos a saída sonora enquanto jogamos ou vemos um filme, é uma questão de hábito na forma como seguramos o terminal.

Um dos pontos em que o LG G6 se consegue superiorizar ao Galaxy S8 é o posicionamento do leitor biométrico. Continua bem centrado na traseira logo abaixo das câmaras, é ergonómico e de fácil acesso. O o sensor em si é de ótima qualidade, muito rápido e preciso. Neste caso a LG não fez nada de diferente e.. ponto para a LG.

LG G6
LG G6

 

Na caixa do LG G6 encontramos, além de carregador, cabo e fones de boa qualidade, um adaptador de micro USB para USB-C. Assim, caso tenham um carregador ou cabo antigo podem usar com o vosso novo G6 sem problemas.

VEREDICTO – Vale a pena?

Vamos começar pelo principio e salientar que o LG G6 é um excelente smartphone, temos um ecrã grande com a proporção 2:1 da moda, temos o desempenho prático que esperariamos de um Flagship em 2017 (ainda que o chipset seja de 2016). Parece-nos que é a primeira vez em muito tempo que a LG concebeu e apresentou um equipamento que se apresenta como um ótimo concorrente aos equipamentos Samsung , Huawei e Apple, ou mesmo Motorola. Apesar de não ser um equipamento perfeito, é um equipamento muito mais equilibrado e sólido que foram o G4 e G5.

Temos uma evolução em quase todos os aspectos quando o comparamos com o modelo anterior o LG G5 e perdemos aquela capacidade de modularidade que foi atrevida mas não cativou os consumidores.

O LG G6 pode ser daqueles equipamentos que vencem numa segunda vaga, ou seja, com o seu preço de lançamento em 749,99 € (2,806 BRL) pode não ser o terminal mais atrativo para a maioria dos consumidores. Mas historicamente o preço dos equipamentos LG desce mais rápido do que os concorrentes e neste momento em canais alternativos já é possível encontrar o LG G6 a 483,21 € (1.687 BRL) e assim o caso muda de figura e o LG G6 ganha fortes hipóteses de ser a escolha mais acertada tendo em conta aquilo que é oferecido VS o preço a pagar.

 

Prós

  • Software da câmera
  • Performance
  • Ecrã

Contras

  • Preço de lançamento
  • Geração Chipset
  • Fotos noturnas (sem flash)

Partilhar é importante, mostra este artigo aos teus amigos!

Obrigado, ficamos a dever-te uma 😉

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais

Partilhar é importante, mostra este artigo aos teus amigos!

Obrigado, ficamos a dever-te uma ;)
close-link