A Foxconn acredita que escassez de chips poderá estender-se até ao fim de 2022

Num relatório do Wall Street Journal, afirma-se que a empresa sediada em Cupertino tem sofrido os efeitos da escassez de chips durante vários trimestres.

Num comunicado recente, a Foxconn, um dos principais fornecedores de iPhones para a Apple, expressou as suas preocupações com a escassez de chips em curso. Na verdade, a empresa acredita que a escassez de semicondutores pode durar bem até ao segundo semestre do próximo ano.

Num relatório do Wall Street Journal, afirma-se que a empresa sediada em Cupertino tem sofrido os efeitos da escassez de chips durante vários trimestres. No entanto, no último trimestre, o negócio da marca começou a sofrer em resultado de constrangimentos de fornecimento em componentes. Para quem desconhece, o mundo vive atualmente uma contínua escassez de semicondutores, que tem tido impacto em várias indústrias, incluindo automóveis, eletrodomésticos, smartphones e outros dispositivos eletrónicos.

A Foxconn acredita que escassez de chips poderá estender-se até ao fim de 2022 1

 

Como resultado, os tempos de entrega (o tempo que leva entre quando uma encomenda é feita e quando o produto é entregue) para todos os produtos da Apple aumentaram. Isto inclui dispositivos como o iPhone, iPad, Apple Watch e até computadores Mac. Como resultado desta escassez de oferta, a empresa sofreu uma perda de 6 mil milhões de dólares, que deverá aumentar ainda mais com a aproximação da temporada de férias. Apesar das recentes melhorias na produção de iPhone da Foxconn, os prazos de entrega ainda são significativamente mais longos do que deveriam ser para este produto.

A Foxconn acredita que escassez de chips poderá estender-se até ao fim de 2022 2

Com a época natalícia ao virar da esquina, a fabricante de iPhones está a pedir aos potenciais clientes que encomendem os seus dispositivos agora para garantirem que os recebem a tempo das festividades. A escassez de fornecimentos levou mesmo a empresa a emitir datas de “encomenda por data” para alguns dos seus produtos mais populares em resultado da escassez.

Também no início deste mês, o CEO da Intel, Pat Gelsinger, afirmou que a escassez global de chips provavelmente durará por um período de tempo muito maior do que o previsto anteriormente pela empresa. Ele afirmou que prevê que a escassez dure pelo menos até o ano de 2023.‎

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!