Android Geek
O maior site de Android em Português

Os 9 sensores mais importantes num smartphone, e para que servem?

Processador, ecrã, bateria … o interior do vosso telefone está cheio de diferentes componentes e peças que, de uma forma ou de outra, intervêm no seu funcionamento adequado. De todos eles, no entanto, há um grupo que às vezes pode ser esquecido, mas cuja operação é fundamental e definirá se o vosso telefone funciona ou não como deveria.

Processador, ecrã, bateria ... o interior do vosso telefone está cheio de diferentes componentes e peças que, de uma forma ou de outra, intervêm no seu funcionamento adequado. De todos eles, no entanto, há um grupo que às vezes pode ser esquecido, mas cuja operação é fundamental e definirá se o vosso telefone funciona ou não como deveria. Eles são, como podem ter inferido a partir do título deste artigo, os sensores.

Cada dispositivo Android inclui vários sensores diferentes, e todos eles são responsáveis ​​por realizar uma tarefa totalmente diferente - embora às vezes se complementem. Neste artigo, vamos recolher os sensores mais importantes que podemos encontrar em qualquer smartphone, bem como as funções e usos que podem ser dados a cada um deles.

Sensores: estes são os mais importantes no vosso smartphone

 

Giroscópio

O giroscópio é, sem dúvida, um dos sensores mais importantes num smartphonee, felizmente, a grande maioria dos dispositivos atuais tem um. De um modo geral, é um pequeno dispositivo electrónico que é responsável por medir com precisão a posição do smartphone.

Muitas aplicações usam o giroscópio para executar algumas das suas funções e, nos últimos anos, com a ascensão da realidade aumentada e virtual, vimos como os programadores estão cada vez mais a explorar as capacidades desse sensor nas suas aplicações e jogos.

No passado, alguns dispositivos só tinham acelerometros - sensor de que falaremos mais tarde -, cuja capacidade de medir a posição ou o movimento do telefone é limitada. A chegada do giroscópio significa maior quantidade de informação gerada na posição e movimento do terminal, dado que são adicionadas novas dimensões que medem a rotação ou as voltas que são dadas.

Os smartphones atuais incluem giroscópios do tipo MEMS -Micro Sistema Eletro Mecânico, que tem um tamanho entre 1 e 100 micrômetros, e cuja operação consiste em detectar quando a posição do dispositivo muda, de modo que o movimento se torna um sinal elétrico de corrente muito baixa que é amplificado e é identificado por um microcontrolador.

Acelerómetro

 

O utilizador muda a posição do seu smartphone de vertical para horizontal, ou vice-versa, e o conteúdo do ecrã adapta-se à nova situação. É nesse momento que o acelerómetro entra em jogo. Esse pequeno sensor pode ser confundido com um microchip, integra uma parte móvel dentro dele gera impulsos elétricos diferentes dependendo da posição do telefone.

Uma vez que este sensor gera menos informações sobre a posição do dispositivo do que o giroscópio, ou a combinação de giroscópio + acelerômetro, normalmente sua funcionalidade é limitada para detectar a orientação do telefone e os programadores também podem aproveitar, por exemplo, incorporando gestos nas suas aplicações e jogos. Normalmente,  terá que ser calibrado antes de ser usado.

Sensor de proximidade

Outro sensor que os telefones smartphones têm há anos é o de proximidade. Este é o sensor que, em alguns terminais, permite que o ecrã se apague no meio de uma chamada quando o utilizador leva o telefone ao ouvido ou que o toque seja desativado enquanto o utilizador o leva no bolso para evitar toques acidentais. Além disso, algumas marcas como a Samsung também aproveitam esse sensor para controlos por gestos, que permitem ao utilizador operar o telefone sem tocar no ecrã.

Fisicamente, o sensor de proximidade baseia sua operação num LED infravermelho que, ao gerar um feixe, é capaz de medir a distância entre o diodo emissor e a superfície em que é rebatido.

Sensor de luz

Se usarem a opção de brilho automático no vosso smartphone Android, estão a usar o sensor de brilho e talvez não o saibam. Este sensor, também conhecido como sensor de luz ambiente, captura a luz existente no ambiente e é responsável por enviar as informações para o sistema operativo em unidades que é capaz de interpretar - normalmente, em lux ou lumen / m² -, para acionar diferentes acções, como aumentar ou diminuir o brilho se a luz ambiente estiver alta ou baixa.

Pedómetro

 

O pedómetro é um sensor utilizado principalmente por aquelas aplicações destinadas àmmonitorização físico como Google Fit. Ele é responsável por medir o movimento do utilizador em passos, e embora as medidas não sejam totalmente precisas - às vezes podem medir como passos aqueles movimentos que não são -, com o passar do tempo eles foram aperfeiçoados e o seu funcionamento melhorou notavelmente. Um exemplo da função do pedómetro é encontrado no Pokémon GO, que faz uso deste sensor para medir os passos dos jogadores e desta forma chocar os ovos quando atingirem um número específico de etapas.

Barômetro

Embora não seja um sensor essencial, uma vez que não é capaz de realizar medições muito precisas, há cada vez mais e mais smartphones que incorporam um barômetro, também conhecido como sensor de pressão. Este componente é responsável por medir a pressão atmosférica, o que permite que o sistema operativo consiga identificar a altitude na qual o dispositivo está localizado.

Bússola

 

O sensor bússola num smartphone pode ter várias funções diferentes. Tecnicamente, funciona como uma bússola electrónica, mede a posição do dispositivo através de campos ou correntes magnéticas. Portanto, algumas aplicações e sistemas de geolocalização podem contar com esse sensor para realizar a sua função.

No entanto, nos últimos anos com a chegada dos chamados "acessórios inteligentes" como capas, o sensor começou a ser usado para aproveitar esses produtos. Por exemplo, este sistema é o mesmo que as Smart Covers usam quando o utilizador fecha a tampa, desliga o ecrã do telefone, ou no caso de ter uma abertura no painel frontal, permitir que as informações sejam exibidas através dela.

Sensores biométricos

 

Até há alguns anos atrás, a maioria dos smartphones não tinha Sensores biométricos projetados para melhorar a segurança dos dispositivos.

Hoje, no entanto, é cada vez mais difícil encontrar um dispositivo móvel que não inclua algum tipo de sensor encarregado de detectar dados do utilizador para desbloquear o telefone. Estes são os mais populares:

  • Leitor de impressão digital: o mais comum Existem vários tipos de sensores de impressão digital que podemos encontrar em smartphones: capacitivo, óptico e ultrassónico. Todos eles usam diferentes tecnologias para criar uma "imagem" da impressão digital do utilizador e, uma vez armazenada, o sistema compara as tentativas de acesso do utilizador à impressão digital armazenada.
  • Leitor de íris, a marca mais forte que optou por esse tipo de sensor foi a Samsung, que vem incorporando esse sistema baseado em infravermelho nos seus telefones há várias gerações. Graças à luz infravermelha - imperceptível pelo olho humano -, o olho do utilizador é iluminado o suficiente para que, ao tirar uma foto do rosto, seja possível analisar os padrões da íris e compará-los com aqueles armazenados na memória. Se eles coincidirem, o terminal está desbloqueado.
  • Sistema de desbloqueio facial: não confundam estes sistemas de desbloqueio facial 3D baseados em sensores com aqueles baseados em software como aqueles que incluem os equipamentos OnePlus, Samsung ou outras marcas. Hoje, apenas telefones como o iPhone ,Huawei P23, Mate 20 incluem sistemas de desbloqueio facial, que combinam câmaras de alta resolução capazes de analisar os padrões de face do utilizador. Combinado com câmaras infravermelhas para iluminar o rosto, mesmo no escuro, para que a leitura dos pontos faciais seja a mais precisa possível.

Como verificar os sensores no seu smartphone e como eles funcionam

 

Embora existam muitos mais, estes são alguns dos sensores mais importantes que os smartphones atualmente incluem.

Como saber os sensores no meu smartphone?

Praticamente todos os fabricantes incluem nos seus dispositivos um sistema através do qual é possível ver uma lista com todos os componentes do telefone, onde se inclui os sensores, bem como sua operação e as medidas que eles recolhem ao executar a sua função, para que seja possível calibrá-los ou saber se eles funcionam como deveriam.

Existem centenas de modelos de dispositivos diferentes, e em cada um deles é possível aceder de maneira diferente a este menu de teste, o mais simples é instalar uma aplicação como CPU-Z, o que permite conhecer todos os componentes que estão num smartphonee organiza-os em diferentes categorias.

Ao instalar a aplicação, vemos que uma das colunas é chamada de "sensores". Nela, uma lista aparece com os diferentes sensores que o dispositivo em questão inclui, e em alguns deles as informações que eles estão a gerar naquele exato momento. Por exemplo, se procurarmos o sensor de proximidade ou a luz ambiente, quando colocamos a mão perto da parte superior do telefone - onde está a coluna para chamadas -, as medições serão alteradas, pois o sensor de proximidade detectará que a distância entre o próprio dispositivo para o objeto mais próximo - a mão, neste caso - está a diminuir.

CPU-Z
CPU-Z
Developer: CPUID
Price: Free+
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot
  • CPU-Z Screenshot

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais