Gostas do Android puro que está disponivel na linha Nexus, mas estas sem dinheiro para adquirir um dos smartphones integrantes? A Google resolveu o problema, pelo menos para o pessoal da Índia. No país, o gigante de Mountain View lançou um projecto intitulado de “One”, cujo o objectivo é disponibilizar smartphones com características e funções básicas por um preço ínfimo, além da garantia de actualizações rápidas e automáticas por até dois anos.

Levando em conta a promessa da empresa de levar as novas versões do robozinho de forma veloz para os dispositivos da família de entrada, é de se esperar que o 5.0 Lollipop não levará muito tempo para estar disponível. De facto, tudo indica que o upgrade poderá ser feito a partir do próximo mês. Nas palavras de uma fonte próxima aos planos do criador do sistema operativo, o novo Android chegará em Dezembro ao território onde as vacas são sagradas.

 

id103010 qmj9wz Smartphones do projeto Android One devem receber actualização para Lollipop em Dezembro image

 

Há uma configuração básica imposta pela Google para a plataforma correr de forma fluida nos aparelhos sem deixar de lado o entretenimento e diversão, são elas: câmeras posteriores e frontais, processadores com quatro núcleos, entrada para cartão microSD, suporte a dois cartões SIM simultâneos e uma bateria capaz de alimentar o gadget por um dia completo. Só resta saber se os produtos conseguirão reproduzir o software do “pirulito” convincentemente.

Relacionado:
Google disponibiliza Android 7.1.1 Nougat para o Nexus 6

Embora o foco actual seja na Índia, há quinze empresas licenciadas e prontas a participar no Android One, sendo que algumas são bem conhecidas, como a Acer, Asus, Lenovo, Panasonic, Alcatel e a HTC. Em teoria, os indianos gostaram da ideia e as vendas estão de vento em popa. Como até a comunicação social está a gostar do projecto, há grandes possibilidades da expansão internacional acontecer. Se, de facto, o nível mundial for atingido e a actualização para Lollipop cheguar já em Dezembro, a linha de baixo custo pode render bons frutos à Google.

 

 

 

 

FONTE | VIA