Serão 4GB de RAM necessários nos dispositivos móveis?

Serão 4GB de RAM necessários para que aplicações abertas em segundo plano sejam retomadas mais rapidamente e sem qualquer tipo de delay? Segundo um teste efectuado pelo Android Police, nem os generosos 4GB de RAM dos aparelhos Samsung Galaxy S6 Edge Plus e Galaxy Note 5 são capazes de evitar atrasos no momento em que os serviços deixados em espera voltam ao ecrã.

Para a avaliação, foram utilizados um Galaxy S6 Edge Plus (que tem 4 GB de RAM) e um Nexus 6 (com 3GB de RAM). Conforme demonstrado no vídeo abaixo, a inicialização de aplicações “cotidianas” em ambos os aparelhos foi feita sem quaisquer problemas – YouTube, Spotify, Twitter e Instagram foram alguns dos programas abertos.

Pontos específicos como um álbum de música e determinado comentário junto do Spotify e Twitter, foram respectivamente seleccionados para que quanto retomados, as aplicações apontassem a mesma marcação. O resultado da análise surpreende: mesmo com mais 1 GB de RAM, o Galaxy S6 Edge Plus foi mais lento e menos preciso no momento de retomar aplicações deixadas em aberto em segundo plano.

Dado que o Galaxy S6 Edge Plus tem mais 1GB de RAM fica a questão: Será que faz assim tanta falta os 4GB de RAM nos dispositivos móveis?
É evidente que os serviços têm de ser recarregados no Galaxy S6 Edge Plus, e isso verificou-se em aplicações como youtube e Instagram. Quando as mesmas aplicações são retomadas pelo Nexus 6, as aplicações em segundo plano aparecem no ecrã inicial já em execução. Por isso uma nova questão surge: a que se deve tal atraso na abertura dos programas?
O palpite dado pela equipa do Android Police é o mais evidente: pode ser que o Galaxy S6 Edge Plus e, provavelmente, também o Note 5 disponham de um mecanismo dedicado à economia de energia que faz com que os aparelhos encerrem as aplicações em segundo plano.

Relacionado:
Samsung Galaxy A8 (2016) foi apresentado oficialmente

 

Então o que achaste? Achas que realmente fazem falta os 4GB ou será mesmo algo que esteja a encerrar

FONTE