Nos últimos cinco anos foram gastos pelo Facebook quase 14 milhões de euros, para a segurança privada do seu CEO Mark Zuckerberg. Aquele que agora é o quarto homem mais rico do mundo, já recebeu ameaças específicas do Daesh, e por isso tem 16 seguranças privados para si e para a sua família.

Numa carta da empresa, onde esta divulga, pela primeira vez, os gastos com este sector, diz o seguinte:

“Exigimos estas medidas de segurança para benefício da empresa devido à importância que Zuckerberg tem para o Facebook e acreditamos que os custos deste programa de segurança global são adequados e necessários”

04001727431013.jpg

Os custos com a segurança do CEO  de 31 anos, devem-se ao facto de ter recebido “ameaças específicas” por parte do Daesh. Algo que fez com que o dono da maior rede social do mundo necessite de segurança redobrada, tal como da sua esposa e filha.

Só em termos de comparação, a Apple “apenas” gastou 183 mil euros com a segurança do seu CEO, Tim Cook, durante o ano passado.

Mas o facto de Zuckerberg andar permanentemente rodeado de guarda-costas, tem incomodado a vizinhança que se queixa de ficar sem lugares de estacionamento para os seus automóveis perto de casa. A fúria no bairro de Liberty Hill, EUA, faz com que os vizinhos escrevessem uma carta com várias queixas.
“Todos nós tentámos ser pacientes e civilizados, mas já não suportamos o ruído, lixo, bloqueio de ruas, etc.”, pode ler-se na carta que chegou a circular na Internet.

Relacionado:
Misterioso Meizu sem margens poderá ser o Meizu Pro 7