Revista francesa Charlie Hebdo agora conta com aplicação para Android

A revista francesa Charlie Hebdo já tinha pensado em criar uma aplicação para iOS, mas desistiram da ideia por conta das rigorosas regras de aprovação na AppStore. O conteúdo controverso poderia frustrar a tentativa, mas agora, cinco anos depois do primeiro projecto a publicação lançou a sua aplicação para Android, iOS e Windows Phone.

O ataque de 7 de Janeiro, realizado à sede da revista, certamente pesou na hora da aprovação. Na última semana, a Apple aprovou em pouquíssimas horas a aplicação de geolocalização “Je Suis Charlie”, desenvolvido com o objectivo de reunir as pessoas que gostariam de mostrar o seu apoio e solidariedade com a tragédia.

A aplicação da revista foi desenvolvido pela equipa do jornal Le Monde, que assim como outros jornais franceses, estão a prestar apoio ao Charlie Hebdo. O desenvolvimento começou um dia após o massacre e eles queriam que tudo estivesse pronto na última sexta-feira, quando a primeira edição após o incidente iria para as bancas. De acordo com o porta voz do Le Monde, a maior dificuldade para a publicação da aplicação foi a tradução da última edição da revista, que está disponível em francês, inglês e espanhol.

De acordo com o cartunista político Mark Fiore, que só teve a sua aplicação aprovada na AppStore após ganhar o prêmio Pulitzer, “apesar da aprovação, a maioria das coisas que Charlie Hebdo produz, a Apple não aprovaria.”

Relacionado:
Samsung irá usar audio da Harman em 2018

Mesmo com o conteúdo polémico da revista, a aprovação da app não foi um problema. “A Apple e a Google foram muito educadas e prestativas e eles nunca nos pediram para limitar o conteúdo em qualquer maneira”, disse o porta voz ao site ReadWrite. A capa da última edição exibe uma imagem do profeta Maomé a segurar um cartaz com a frase “Je Suis Charlie” e está exposta na AppStore. A representação da imagem do profeta é considerada herética para muitos muçulmanos.

Apesar da app ser gratuito, é necessário fazer uma compra para ter acesso à última edição, que custa US$ 2.99. Os utilizadores também podem fazer uma assinatura anual, por US$89.99, no entanto, apenas esta última edição foi traduzida para outros idiomas, as próximas estarão disponíveis apenas em francês.

Podes fazer download da aplicação aqui.

FONTE