Não há memória de jogo com tanto sucesso como o Pokémon GO. Um dos sinais da popularidade do Pokémon GO é o facto de se ter tornado numa das aplicações móveis mais usadas pelos utilizadores de smartphones com o sistema Android, ultrapassando apps como Twitter, Netflix ou Spotify. Segundo a SimilarWeb, empresa de estudos de mercado da internet, apenas as redes sociais Facebook Messenger, WhatsApp, Instagram ou Snapchat continuam a estar à frente do jogo da Nintendo em número de utilizadores Android. Em contrapartida, o Pokémon GO já é a aplicação que neste momento mais capta a atenção. Os fãs do jogo da Nintendo dedicam-lhe 43 minutos por dia em média, mais do que o tempo dedicado àquelas redes sociais, refere a SimilarWeb.

0B5CUt KUpXFUaWtSUjZSU0JGUk0 Pokémon GO está a matar baterias de Smartphones image           Imagem depositphotos.com

É tudo muito bonito mas…

A par do sucesso do jogo, está a “fome” desta aplicação por recursos do smartphone. O Pokémon Go usa intensivamente praticamente todos os recursos dos dispositivos ( GPS, 4G, WiFi e câmara), o que implica esgotar a bateria mais rapidamente e consequentemente carregar o equipamento mais vezes.

Uma bateria de smartphone dura em média 400 cargas, o que pode ser traduzido em mais ou menos um ano e meio de uso.

Ao carregarmos o smartphone mais vezes, estamos a encurtar a via útil da bateria. Várias lojas de reparação de smartphones relataram acréscimos na ordem dos 150% nas incidências relativas a baterias danificadas ou em fim de vida.

Relacionado:
Pokémon GO recebeu actualização que já está disponível na Play Store

Depois das PokéStops em lugares estratégicos que apelam ao consumo ou visita em diversas lojas, aqui está mais uma contribuição da Niantic para a economia mundial ao “destruir” as baterias dos nossos smartphones.