A bateria (ou a falta dela) é nos dias de hoje uma grande problema para os dispositivos móveis, e a pensar nisso investigadores da Universidade de Bristol desenvolveram um novo método que pode facilitar a vida das pessoas.

O PowerShake usa o carregamento sem fio para transferir energia de um dispositivo para o outro, mesmo em movimento. “Quando os primeiros smartphones foram lançados, as pessoas pensaram que estavam finalmente livres dos fios, mas esses aparelhos ainda necessitam de ser ligados a um fio para serem recarregados. Agora estamos à procura de soluções para os libertar desse mesmo fio, encontrando uma maneira de gerir a energia sem se ligar”, explica Mike Fraser, um dos responsáveis pela pesquisa.

[youtube_sc url=”https://www.youtube.com/watch?v=5Iw-c-I8dzI”]

Conformo podemos ver no vídeo acima, é muito fácil, o carregamento sem fio envolve, pelo menos, duas bobines: uma no transmissor e outra no recetor de energia. Quando uma corrente elétrica passa através da bobina transmissora, ela cria um campo eletromagnético que pode transferir carga para outra bobine. Segundo os cientistas, a transmissão funciona melhor em curtas distâncias.

0B5CUt KUpXFUOTZ2ZWZlZnRaaGc Nova tecnologia sem fios, permite partilhar a bateria entre smartphones image

Em testes, os investigadores garantiram que nenhuma energia transmitida tenha capacidade de atingir o tecido humano. As bobines foram desenvolvidas para serem flexíveis, o que significa que podem ser incorporadas em pulseiras de relógios. É importante lembrar que o processo de carregamento entre smartphones, por exemplo, é uma espécie de “empréstimo”, o que significa que para carregar um, o outro terá que abrir mão de determinada quantidade de energia.

Relacionado:
‪‪Spotify‬‬ já conta com 40 milhões de assinantes

Ou seja, é basicamente explicando, uma transferência de energia entre dispositivos, em que um dá e o outro recebe… e quem dá perde essa mesma energia da sua bateria.

O equipamento ainda está em fase de testes e pesquisas, no entanto o objetivo é testar o PowerShake em ambientes reais.