O título deste artigo pode levar a pensar que ao jogarmos o jogo que se encontra nas bocas do mundo o Pokemon Go, corremos o risco de ficar com o pescoço parecido a uma das personagens do Pokemon Go.

Mas o assunto é um pouco mais sério e a pressão no pescoço originada pela posição da coluna quando estamos inclinados a ver o ecrã do nosso smartphone pode levar a desgaste precoce, degeneração e até cirurgias, avisa ortopedista.

aurorus.jpg
Aurorus

 

O presidente da associação Spine Matters, o médico ortopedista Luís Teixeira, decidiu lançar um alerta. A “febre da app” pode provocar “desgaste precoce e a degeneração” do pescoço, avisa.

 “Os estudos realizados na área revelaram que a força exercida no pescoço de um adulto a olhar para o telemóvel pode variar entre os 12 e os 27 quilos, e sofrer uma inclinação entre 15 a 45 graus. Estamos a falar de uma pressão extrema para esta zona, que pode levar a um desgaste precoce, degeneração e até cirurgias”

O presidente da associação Spine Matters refere ainda que existem diversos pontos positivos no sucesso deste tipo de jogos, pois estimulam os mais jovens a sair de casa , conviver e até mesmo fazer exercício físico, pois as longas caminhadas fazem já parte da rotina de muitos dos fãs deste jogo.

Os “truques” para minimizar os impactos deste tipo de utilização dos smartphones nos nossos corpos e consequentemente na nossa saúde são relativamente simples e fáceis de memorizar e aplicar.

Relacionado:
Google Allo 2.0 está a sair e traz novidades

A caça aos pokémons deve ser realizada pelo menos aos pares, estando sempre um dos elementos encarregue de lembrar o outro de fazerem pequenas paragens ao longo da busca”. Isto para que seja possível descansar alguns minutos “numa posição correcta e de pescoço erguido, que também podem ser aproveitados para realização de alguns exercícios posturais simples”.

Apanhem-nos todos, mas atenção à vossa saúde.

FONTEPúblico
PARTILHAR
Artigo anteriorAsus lança o ZenFone 2 Laser Plus
Próximo artigoCyanogen Inc. em reestruturação despede 20% do staff. Adeus ROMS?
Fundador do Androidgeek.pt ,trabalho em TI há dez anos. O desafio de gestão de equipas com foco nas necessidades do mercado deu-me o background certo para abraçar vários projetos online, nos quais aproveito a minha experiência em duas das minhas paixões: Tecnologia e Escrever. Sou um profissional dedicado com vasta experiência em todas as áreas de Gestão de TI e Gestão de serviços na área de Tecnologias de Informação. Sou apaixonado por tecnologia, Android, Publicidade, Marketing Digital e posicionamento estratégico.