A divisão mobile da LG está em maus lençóis no que diz respeito a saúde financeira. Apesar de a empresa ter apresentado lucro em termos globais no primeiro trimestre de 2016, o seu departamento mobile apresentou perdas significativas no mesmo período.

LG “em arrumações” no departamento mobile

lg_logo.jpg

Este já é o terceiro trimestre consecutivo de resultados operacionais negativos na área mobile com os prejuízos a ascenderem aos 202 biliões de won (150 milhões de euros). Invertendo um pouco a lógica da velha máxima “em equipa que ganha não se mexe”, a secção de telecomunicações móveis da empresa coreana não tem ganho e por isso vai ter que mexer. Isto é, haverá uma reorganização dentro desse departamento para fazer face às adversidades financeiras.

Quem o diz é o CEO da LG e líder da divisão mobile, Cho Juno, que dirigiu o seguinte comunicado aos seus colaboradores:

We need to change the way we work to move faster and lighter. Other business divisions also need people from MC (mobile communications). We will continue to reshuffle personnel.

“Precisamos mudar o modo como trabalhamos para avançarmos mais depressa e mais leves. Outras divisões de negócio também precisam de pessoal da secção de comunicações móveis. Continuaremos a realocar pessoal.

Um porta-voz da gigante coreana desvalorizou as afirmações do executivo, afirmando que estas mudanças fazem parte da reorganização anual da companhia.

Relacionado:
Antutu disponibiliza lista de dispositivos com melhor desempenho em Outubro

Há ainda um dado importante que deve ser contemplado: é que os resultados das vendas do LG G5 ainda não entraram nas contas do primeiro trimestre do ano, o que quer dizer que a LG ainda pode dar a volta à situação ao longo de 2016. Numa outra perspectiva podemos concluir que muita coisa depende da aceitação do novo topo de gama da empresa, junto do consumidores.

LG G5

Esta situação não é nova no mundo mobile com empresas como a Sony e a própria Samsung a passarem por situações semelhantes no passado. A empresa japonesa também teve prejuízos no departamento mobile nos últimos três trimestres. Já o departamento análogo da Samsung sofreu reestruturações aquando do falhanço comercial do Samsung Galaxy S5 em 2014.