O Google anunciou ontem que tem vindo a desenvolver uma técnica de tradução por meio de aprendizagem de máquina que terá a capacidade de reinventar as traduções online. Em vez de se basear em palavras e frases soltas, o novo sistema apelidado de “Google Neural Machine Translation” (GNMT) analisa todo o conjunto de palavras de uma frase.

O segredo do GNMT estará na modo como as redes neurais conseguem imitar a perceção humana, permitindo desta forma reduzir os erros em traduções em até 60 por cento. Por enquanto, a tecnologia inovadora será incorporada nas traduções do chinês para o inglês, mas a Google tem planos para disponibiliza-la aos mais de 10000 pares de línguas suportadas pelo Google Translate.

google-tradutor-foto-700x393.jpg

“Nós podemos treinar o sistema de ponta a ponta. Isso torna muito mais fácil para o Google Translate se focar na redução da taxa de erro final”, diz o engenheiro do Google Mike Schuster.

“O que temos agora não é perfeito. Mas poderá dizer que é muito, muito melhor”.

Para quem não sabe o Google Tradutor completou dez anos de vida em Abril e muita coisa mudou desde então. Inicialmente, o serviço dependia apenas de tradução de máquina baseada em frases, o que já o tornava mais eficiente que traduzir palavra a palavra, como faziam outros tradutores mais simples. Agora passado 10 anos, estamos perante um sistema que apesar de estar longe da perfeição, está cada vez mais afinado e preciso.

Relacionado:
Sabe porque é que os novos Google Pixel não possuem estabilização ótica de imagem?

Para quem ainda não tem instalado e pretende instalar, o Google Translate está disponível gratuitamente aqui.