Google quer acabar com o Ad-Block

 

Grande parte dos lucros da gigante de Mountain View vêm da exibição de anúncios nas páginas de pesquisa. Devido ao crescimento acentuado do número de utilizadores que usam software para bloqueio de anúncios, sejam eles da Google ou de terceiros. A Google e outras empresas que dependem das receitas geradas pela publicidadecomeçam a tomar medidas para assegurar a viabilidade dos seus modelos de negócio. A Google convidou recentemente diversas empresas Europeias para apoiarem as suas iniciativas em torno da resolução deste assunto.

google paid adblock plus whitelisting its sponsored ads Google quer acabar com o AdBlock image

Numa conferêcia na Alemanha a Google explicou às empresas presentes que o sistema deanúncios na Internet deve ser melhorado, pois muitos dos anúncios encontrados online são intrusivos, isto leva os utilizadores a usarem software de ad-block que custam á Google e restantes anunciantes muitos milhares de dólaresem prejuízos.
Segundo a Google é urgente que sejam tomadas medidas de melhorar o processo dos anúncios on-line para que se tornem mais eficientes emenos intrusivos para os utilizadores.

Sridhar Ramaswamy, vice presidente sénior de publicidade e comércio da Google na conferênca The Wall Street Journal’s WSJDLive afirmou o seguinte.

BN KW001 googdl M 20151020194732 Google quer acabar com o AdBlock image

Precisamos de um padrão para a aplicação de anúncios online que seja sustentável e padronizado, que não use muita largura de banda e que não interrompa os utilizadores de forma grotesca.

A convivência entre a Google e as empresas de mídia nunca foi muito pacífica, pois os serviços do Google como o Google News, Motor de busca e até mesmo o Youtube acabam por roubar receitas a estas empresas. Mas a Google está preparada para alterar esta realidade e garantir que as novas medidas trazem vantagens para todos. Mesmo com um aumento no uso de ferramentas de bloqueio, os sites europeus ainda registaram um lucro de 33 biliões US$ no ano passado , através de marketing via banners e outra publicidade em páginas da WEB.

Relacionado:
Revelada lista de smartphones Android que enviam dados pessoais para a China

A maior editora de jornais na Alemanha Axel Springer tomou medidas drásticas para impedir que os utilizadores usem software de bloqueio de anúncios no seu site.

Um utilizador que use software de bloqueio de anúncios no seu browser e visite o site do jornal Bild da Springer, pode mesmo ser banido. As ações da Axel Springer destacam a realidade da perda de receita e possíveis soluções. De acordo com a empresa, cerca de 200 milhões de utilizadores usam software de bloqueio de anúncios, o que acaba gerando uma perda de cerca de 22 biliões US$ nas receitas.

O objetivo final da Google é controlar os anúncios e torná-los relevantes para os utilizadors, com cuidado ainda para não atrapalhar a experiência de visualização. A Google também está preocupada com a experiência de uso, inaugurou um novo algoritmo que reduz drasticamente o peso de páginas na abertura em smartphones.

Ainda que as motivações da Google sobre este assunto sejam claramente monetárias, a verdade éque todos temos a ganhar se tivermos uma Internet mais limpa na qual existam regras sobre a aplicação de publicidadee onde a mesma seja constrúida de forma a ser relevante para o utilizador.

PARTILHAR
Artigo anteriorAntevisão BLUBOO XTOUCH
Próximo artigoSamsung Galaxy Note 4 começa a ser actualizada para Android 5.1.1 Lollipop no Brasil
Fundador do Androidgeek.pt ,trabalho em TI há dez anos. O desafio de gestão de equipas com foco nas necessidades do mercado deu-me o background certo para abraçar vários projetos online, nos quais aproveito a minha experiência em duas das minhas paixões: Tecnologia e Escrever. Sou um profissional dedicado com vasta experiência em todas as áreas de Gestão de TI e Gestão de serviços na área de Tecnologias de Informação. Sou apaixonado por tecnologia, Android, Publicidade, Marketing Digital e posicionamento estratégico.