Após a queda definitiva da BlackBerry, no ano passado, parece que a corrida por uma melhor posição de mercado entre as gigantes da tecnologia está cada vez mais forte, especialmente na conquista dos clientes que a mesma perdeu, no âmbito dos dispositivos corporativos. Não é diferente para a Google – empresa cujo sistema operativo, o Android, é um dos mais difundidos do mundo.

A empresa divulgou recentemente um novo relatório, onde afirma querer disponibilizar o uso de seu software como escolha para dispositivos corporativos; O que não significa, no entanto, que a mesma tenha intenção de fabricá-los. Este plano daria uma nova hipotese ao Android, estendendo o seu uso e conquistando mais utilizadores.

Para tanto, a Google pretende alterar e melhorar a estrutura do Android, tornando-o mais atractivo para as empresas. Ainda não se sabe como a desenvolvedora pretende realizar este feito, mas sabe-se que uma das principais questões é a segurança do sistema operativo, já considerado perigoso por ser “aberto”. Neste caso, é incorreto afirmar que o sistema não seja seguro, uma vez que, sendo aberto, ele permite que qualquer pessoa envie correções e verifique códigos. A insegurança surge, na realidade, com o uso incorreto do utilizador.

Entre todos as suposições, a mais provável sobre o que a Google pode fazer para melhorar a segurança do Android, atraindo os clientes desejados, é tornar limitado o acesso que o utilizador tem a este sistema, para reduzir a probabilidade de que se faça um “mau uso” deste recurso e os dispositivos se mantenham seguros.

Relacionado:
Gionee M2017 com especificações e imagens mostra bateria de 7000 mAh, Dual camera e ecrã curvo 2K

Fonte: MobileXpert