Google explica o porque do Google Now não dizer umas piadas

 

Em entrevista à revista TIME, o executivo Amit Singhal da Google explica que a visão da empresa para o Google Now não permite dar ao assistente algum tipo de personalidade.
Ao contrario de Siri e Cortana que são cheias de personalidade e capazes de realizar pedidos do utilizador que tenham pouca utilidade prática, mas criam um vínculo pessoal, como dizer piadas, cantar e dar respostas engraçadinhas para perguntas engraçadinhas. Do outro lado, há o Google Now: eficiente, mas distante, sisudo e sem personalidade.
Singhal explica que incluir humor neste tipo de software dá a entender que eles usam capacidades de inteligência artificial que ainda não existem, que acaba por induzir em erro o utilizador.

Eu não quero dizer que a personalidade [em inteligência artificial] não deva existir, mas a ciência para chegar lá ainda não existe totalmente

Singhal também aproveitou para dar uma leve critica aos rivais que usam este humor artificial nos seus serviços:

“Você vê o que acontece na vida real. Isso é interessante por um ou dois dias e depois meio que… perde o charme, por assim dizer”

De facto, algumas semanas depois as piadas da Siri e da Cortana perdem a graça, e ficamos com vontade de desligar essa função. Tornam-se repetitivas e sem interesse.

Relacionado:
Asus prepara o update do Android Nougat, e procura utilizadores para o testar

google_lead_b2.gif

Portanto, o foco do Google Now neste momento é outro, principalmente o processamento de linguagem natural, permitindo que os computadores e smartphones consigam perceber melhor quando o utilizador fala ou digita frases longas e estruturadas, e não apenas palavras-chave. Quanto mais o assistente da Google conseguir compreender estas frases, melhor ele conseguirá oferecer respostas. Esse é o principal desafio do momento para o Google Now e o Now On Tap.

O Google Now já é o reflexo de um Google que tenta ir além da relevância no mundo dos desktops, expandindo as pesquisas para o mundo da mobilidade. Mas a empresa quer ir além: o próximo passo é embuti-lo em cada vez mais produtos do quotidiano. As novas Android TVs também já contam com integração com o Google Now.