Google confirma que deixa de fazer updates do WebView para 60% dos utilizadores Android

No passado dia 12 falamos aqui num possível abandono da Google em fornecer actualizações de segurança do WebView para aparelhos com Android Jelly Bean ou versões mais antigas. Agora, apesar de toda a polémica dessa decisão, a Google reforçou que vai realmente abandonar esses aparelhos e não tem a mínima intenção de lançar actualizações do recurso para esses dispositivos.

Toda a polémica agrava-se quando verificamos que os Androids abandonados compreendem a cerca de 60% do total de aparelhos com o sistema. Desta forma, estão entregues à própria sorte cerca de 939 milhões de dispositivos. A fonte de todo o problema é a ferramenta WebView. Esta “pequena aplicação” permite que aplicações abram uma versão diminuta de um site para executar uma determinada tarefa. Pode ser um login para o Facebook, ou Twitter, ou um vídeo no YouTube, ou qualquer outro cliente de terceiro que aceda uma determinada página.

Com um número tão gigante de pessoas desprotegidas, os próprios programadores dessas aplicações enviaram uma solicitação para que a Google reconsidere essa decisão. Afinal, a grande maiorias das aplicações clientes de uma página ou serviço utiliza o WebView. E, como uma grande parte dos utilizadores Android ainda estão com a versão antiga do sistema, as aplicações desses programadores podem acabar por ser uma fonte de infecções de sistema.

Relacionado:
Facebook Messenger e a partilha "Directa"

No passado sábado, a Google deu a resposta final sobre esse assunto de uma forma muito simples e directa: não, não haverá mais actualizações. Apenas teremos updates de segurança para quem tiver aparelho com o KitKat ou o Lollipop, que são cerca de 40% dos utilizadores Android. Os programadores prejudicados, de acordo com as recomendações da própria Google devem colocar alertas nas suas próprias aplicações. Dessa forma, quando alguém for fazer um login na aplicação de terceiros, deverá receber uma mensagem de que aquela operação pode ser perigosa.

Ainda, como solução definitiva, a Google sugeriu que as aplicações redireccionem o ecrã de login para um browser como o Chrome ou Firefox, que ao menos não vão deixar de ser actualizados em dispositivos Androids (mesmo sendo antigos).

Como o WebView passou a ser uma aplicação independente no Android 5.0, a Google vai-se focar mais no update dessa ferramenta para essa versão do sistema. Afinal, é mais fácil para actualizar do que as versões anteriores, pois estas faziam parte integrante da platafoma.

 

FONTE