O Samsung Galaxy Note 7 teve uma estreia difícil. Não só vai ser recordado como o produto recolhido logo após o lançamento por problemas de bateria, como surgiram diversas histórias de horror sobre telefones explodindo em situações mais ou menos aparatosas.

A atualização mais recente da saga vem da Austrália depois de três companhias aéreas – Qantas, Jetstar e Virgin Australia – proibir os passageiros  de utilizar ou até mesmo carregar o Note 7 durante o voo.

Três companhias aéreas da Austrália estão a proibir os passageiros de usar ou carregar aparelhos do modelo Galaxy Note 7, da Samsung, durante os voos.

A decisão da Qantas, Jetstar e Virgin Australia surge como uma medida de precaução depois de nos últimos dias vários utilizadores deste aparelho terem reportado explosões na bateria.

Apesar de poderem continuar a levar os aparelhos para o avião, de acordo com a Reuters, os utilizadores não os poderão usar ou carregar enquanto estiverem no ar.

"Depois de a Samsung pedir aos utilizadores para devolverem os Samsung Galaxy Note 7, estamos a solicitar aos passageiros para não os ligarem ou carregarem durante o voo", disse o porta-voz da Qantas, num comunicado a que Reuters teve acesso.

0B5CUt KUpXFUZGI4WGs2ZXVtc1E Galaxy Note 7 proibido de voar image

Isto significa que os telefones ainda são autorizados a bordo, mas não podem ser usados  (presumivelmente, eles precisam ser desligados e arrumados). Desconhece-se se os comissários de bordo destas companhias aéreas estão a ser treinados para olhar para este dispositivo específico, ou se vão ser capazes de detectar as diferenças entre modelos semelhantes, como o Note 5 ou o Galaxy S7 Edge.

Relacionado:
Galaxy S6 edge+ Europeu recebe patch de segurança

Depois desta decisão, a Samsung, em comunicado, disse que já está em diálogo com as três empresas.