Há já algum tempo que o Facebook decidiu confiar a selecção das suas notícias em destaque, a um sistema de inteligência artificial em detrimento dos profissionais que desempenhavam essa função.

facebook-censorship.jpg

No final do mês de agosto este algoritmo de selecção de conteúdos já tinha deixado uma impressão negativa ao dar destaque a um boato não confirmado sobre uma apresentadora do canal FOX News na secção de noticias, para além desta situação embaraçosa para a equipa de Zuckerberg, houve também uma polemica sobre a censura que estes robots aplicaram a uma icónica fotografia da guerra do Vietname, porque na mesma surge uma criança nua.

article-0-136433DA000005DC-963_634x406.jpg
Napalm Girl

A polemica mais recente relacionada com este sistema de inteligência artificial, foi ontem no aniversario do ataque ás Torres Gémeas, o algoritmo ter dado destaque a uma noticia que já teria sido provada falsa, acerca da colocação de bombas no World Trade Center.

Um porta-voz do Facebook reconheceu o erro mais recente:

Nós estamos cientes de que o artigo falso apareceu lá [na seção Trending Topics] e, como uma solução temporária para o problema, nós removemos o tópico.

O maior perigo neste tipo de erro do algoritmo do Facebook, é a desinformação em massa. Artigos destacados na rede social que não têm qualquer tipo de veracidade têm a capacidade de enganar milhões de pessoas, algo que potencialmente poderia ser evitado com a intervenção direta de editores.

Relacionado:
WhatsApp conta agora com recursos semelhantes aos do Snapchat

A tecnologia deve funcionar a nosso favor, mas confiar cegamente num algoritmo para seleccionar aquilo que milhões de pessoas lêem, parece-nos um pouco arriscado.