As reuniões do gigante fabricante de telemóveis chinês Xiaomi com a mais recente marca de automóveis, a americana ultra-sofisticada Tesla seguem a bom ritmo no sentido de desenvolver um pequeno automóvel de fabrico chinês.

A marca com sede em Pequim, justifica este enorme passo com a emoção com que os chineses lidam com os automóveis fabricados no seu país. O motor desta paixão é alimentado por marcas locais de âmbito ‘low-cost’, subsídios governamentais e custos astronómicos em termos imobiliários.

 

car2_drzgxk

Os rumores da preparação da entrada da Xiaomi na indústria automóvel surgiram há já um ano quando importantes quadros da Tesla foram avistados a aceder aos escritórios da marca chinesa.

As notícias chinesas têm dado nos últimos dias grande destaque às parcerias encetadas entre a Xiaomi e uma marca de automóveis chinesa para produzir o ‘Mistla’, um pequeno automóvel citadino que estará inserido no segmento A0. Este segmento, que recebe igualmente a designação de superminis tem como principais protagonistas o Toyota Aygo, Citröen C1 e Peugeot 107, aos quais será adicionado em breve o Opel Karl.

Como é expectável, a Xiaomi irá incluir no seu pequeno automóvel Mistla um sistema de informação, comunicação e entretenimento baseado no sistema operativo Android ‘mascarado’ com o seu interface MIUI.

Tal como outros produtos da tecnológica chinesa, o Xiaomi Mistla terá um custo atrativo, posicionando-se ligeiramente acima dos automóveis mais baratos à venda no mercado chinês. O preço será inferior a 39,999 yuan, cerca de 5200 euros.

Relacionado:
Teaser oficial do Xiaomi Mi 5S confirma os 164 mil pontos no Antutu